1984 (Nineteen Eighty-Four) – George Orwell

Oi! Em primeiro lugar, desculpem pela falta de resenha na quarta feira! Eu tinha que apresentar um congresso e depois trabalhei até muito tarde, então não deu tempo de postar, mas não se preocupem que compensarei esse dia! Pra hoje escolhi um livro que li há pouco tempo, por indicação de um amigo. É dia de “1984”.

1984_by_alcook-d4z39dh

“Winston, herói de 1984, último romance de George Orwell, vive aprisionado na engrenagem totalitária de uma sociedade completamente dominada pelo Estado, onde tudo é feito coletivamente, mas cada qual vive sozinho. Ninguém escapa à vigilância do Grande Irmão, a mais famosa personificação literária de um poder cínico e cruel ao infinito, além de vazio de sentido histórico. De fato, a ideologia do Partido dominante em Oceânia não visa nada de coisa alguma para ninguém, no presente ou no futuro. O’’Brien, hierarca do Partido, é quem explica a Winston que ‘só nos interessa o poder em si. Nem riqueza, nem luxo, nem vida longa, nem felicidade – só o poder pelo poder, poder puro.'”

Bom, como eu disse lá em cima, li esse livro por indicação: já estava com ele na minha lista, mas não tinha previsão de quando teria tempo para lê-lo, e várias ocasiões vieram em que esse amigo – o mesmo que me indicou “A Insustentável Leveza do Ser” – citou esse livro e disse que eu precisava lê-lo. Quando acabei por fazê-lo, fiquei completamente chocada, e alguma coisa em mim mudou.

A história de um governo totalitário que controla até o pensamento das pessoas e que faz com que mesmo as crianças pequenas denunciem seus pais e os traiam em nome da causa do Partido já parece assustadora, mas do jeito que é escrita fica ainda mais apavorante! Há tempos um livro não me inquietava tanto! A verdade é que dá desespero a ideia de não ter liberdade para nada, e só de pensar em controlar cada movimento do rosto para não trair nenhuma emoção, de não poder sentir, fazer ou pensar em nada que não seja o bem maior de uma causa – e ver as explicações para essa causa serem o que são – eu queria entrar na história e poder fazer alguma coisa!

As personagens são extremamente enervantes, mais por causa do que são obrigadas a fazer na situação em que estão inseridas do que por serem quem são: nunca vi pessoas serem produtos de seu meio de forma tão óbvia quanto aconteceu nesse livro. No momento em que vivemos no Brasil, em que tantas críticas são feitas à política, sem nenhuma base, nenhum fundamento e pedindo por intervenções militares, esse livro poderia ser bem educativo – imagine que o ato de escrever um diário seja crime, que querer beijar uma pessoa seja proibido e que para se casar você deve fazê-lo com uma pessoa escolhida para você, sem sua opinião ser sequer consultada e eu garanto que qualquer indício de vontade de ter sua vontade controlada mudaria rapidinho!

Recomendo esse livro para todo mundo, ainda que tenha receio das más interpretações que possa receber. É, com certeza uma das melhores obras que eu já li – e que me deixou completamente ligada, de um jeito assustador! Leiam, leiam, leiam! É realmente imperdível!

Espero que tenham gostado! Bom fim de semana para todos nós e até a próxima!


6 thoughts on “1984 (Nineteen Eighty-Four) – George Orwell

  1. Acho válido citar que Orwell publicou esse livro em 1949, se adiantando em muito em um assunto que é atual até hoje. 1984 é leitura ~obrigatória~ em vários cursos de graduação e sua influencia é inegável.
    **Em 1984 a apple lançou um comercial chamado 1984, que foi baseado no livro, que foi um marco na história da publicidade e é responsável por todo o nível de Status que a marca tem hoje em dia.
    Enfim, parabéns pela resenha =)

    • Verdade, Abraão, são colocações extremamente importantes! Não as coloco no texto para que não fique tão grande e para que as pessoas procurem se informar sobre a obra – e fico feliz que funcione, pelo menos de vez em quando =)

      Obrigada! =)

  2. Oi, Nina.
    Nem posso reclamar da sua falta de resenhas porque também fiquei atolada com problemas pessoais e nem pude passar aqui para comentar. Agora vou dar uma olhada em tudo o que perdi, então não se assuste com o tanto de comentários meus que vai aparecer aí na sua tela! rs…
    Eu sou apaixonada por esse livro, mas nunca tive a chance de resenhá-lo. Quem sabe eu não me animo e resolvo escrever sobre ele?! Se bem que talvez eu tenha que ler de novo! rs…
    beijos
    Camis

    • Oi Camis! Nem me fale, eu também tive uma porrada de coisas que me impediram de escrever por um tempo (vide as mini-férias!) e acabei nem indo visitar seu blog, estou super em falta com você, desculpa!

      Olha, super apoio uma resenha sua deste livro, hein? Eu ia adorar ver o que você achou! 😉

      Beijos!

Tem algo a acrescentar?