A Escolha dos Três (The Drawing of the Three) – Stephen King

Oi! Faz uma bela segunda feira em Brasília, iniciando minha última semana de aulas do semestre (o 2º/2012 ainda…) e última semana de trabalho no MRE. Não vou chorar minhas pitangas sobre isso, pelo menos não agora. Quero ficar bem calma e feliz pra fazer boas provas amanhã, mas a verdade é que sempre fico meio tensa e ansiosa, então, pra combinar com esse humor, a resenha de hoje continua a série “A Torre Negra” com o segundo volume da saga, “A Escolha dos Três”.

110924968SZ

Pode conter spoilers involuntários dos livros anteriores

“Um derradeiro confronto com o homem de preto revela a Roland, nas cartas de um baralho de tarô, aqueles que deverão ajudá-lo em sua busca pela Torre Negra: o Prisioneiro, a Dama das Sombras e a Morte. Para encontrá-los, o último pistoleiro precisará atravessar três intrigantes portas que se erguem na deserta e interminável praia do mar Ocidental. São portas que o levam a um mundo diferente do seu, em outro tempo, de onde ele deverá trazer seus escolhidos: Eddie Dean, um viciado em heroína; Odetta Holmes, uma bela jovem negra que perdeu as pernas em um medonho acidente e sofre de misteriosos lapsos de memória; e o terceiro escolhido, a Morte, que vai embaralhar mais uma vez o destino de todos. A primeira porta o leva à Nova York dos anos 1980 e a Eddie Dean. A segunda transporta o pistoleiro à mesma cidade, mas dessa vez na década de 1960. A Dama das Sombras que Roland encontra atrás dessa segunda porta é Odetta Holmes. Roland e Eddie não demoram a descobrir que a mente de Odetta abriga também a malévola Detta Walker, num evidente distúrbio de dupla personalidade. Com o terceiro escolhido, A Morte, as cartas tornam a se embaralhar e a busca de Roland pela Torre Negra sofre uma nova e imprevisível reviravolta.”

A história se desenvolve melhor nesse livro, é bem mais interessante que o primeiro, e eu li rapidamente. Bom, pelo menos depois que a primeira porta aparece. Eddie, a primeira personagem nova a aparecer, é um jovem bonito e no caminho da destruição: viciado em heroína e carregando drogas em um avião para libertar o irmão do criminoso Enrico Balazar, não parece ser alguém que durará muito mais na vida. Roland intervém para ajudá-lo a se livrar de Balazar e o leva para seu mundo, o que não agrada Eddie nem um pouco, ainda mais depois que Roland joga suas drogas no mar. Odetta é doce, educada, inteligente; não demonstra resistência ao mundo de Roland, e chama a atenção de Eddie. Detta é agressiva, maldosa e cruel; não gosta de ter sido levada ao estranho mundo do Pistoleiro, e tenta retornar de todas as formas. Não vou falar de Jack Mort, pois seria um spoiler muito grande. O que posso dizer é que é um alívio ver que essa peregrinação do Pistoleiro não será tão solitária, e que apesar de não termos um vislumbre tão bom assim das personagens, elas já começaram a me conquistar.

“A Escolha dos Três” é um bom livro, mas eu não sei se é porque eu gostei muito mais dos próximos que não consigo considerá-lo ótimo. É, no entanto, bem escrito e interessante. Não é o melhor da série (para mim é o 4º, “Mago e Vidro”) e passa longe de ser o melhor que já li, mas é essencial para o entendimento da série, e, como eu disse na resenha d’O Pistoleiro, a série é excelente. Eu a terminei logo depois daquela resenha, e fiquei muito feliz com o final. Leiam, não vão se arrepender!

Espero que tenham gostado! Boa semana para todos nós, e boa sorte pra mim.

Série “A Torre Negra”:

01 – O Pistoleiro

02- A Escolha dos Três

03- As Terras Devastadas

04- Mago e Vidro

05- Lobos de Calla

06- Canção de Suzannah

07- A Torre Negra

Para ajudar a entender os termos da série, clique aqui e acesse uma wiki que pode ajudar!


2 thoughts on “A Escolha dos Três (The Drawing of the Three) – Stephen King

  1. Pingback: As Terras Devastadas (The Waste Lands) - Stephen King

  2. Pingback: Mago e Vidro (Wizard and Glass) - Stephen King - O Mundo da Marina

Tem algo a acrescentar?