A Luneta Âmbar (The Amber Spyglass) – Philip Pullman

Oi! Enquanto me choco com como outubro desapareceu e como novembro já está quase na metade, olho pras resenhas que estão pendentes e me dou conta de que hoje é dia de terminar uma série! Onde foi parar 2015? Acho que anos bons acabam depressa, e séries boas também. É dia de “A Luneta Âmbar”, pra terminar a trilogia “Fronteiras do Universo”.

alunetaambar

Pode conter spoilers involuntários dos livros anteriores

“Will é o portador da faca sutil. Ele prometera ao pai, no leito de morte, que iria entregar a lâmina terrível ao Lorde Asriel. Está se aproximando uma guerra, a maior guerra de todos os tempos, e a lâmina é a única arma que pode render o inimigo. Um forasteiro num mundo estranho, Will começa sua jornada perigosa. Mas como pode cumprir a promessa quando Lyra, sua corajosa companheira, está desaparecida?”

No terceiro e último livro a contar a história de Lyra, a grande batalha chegou: é hora de lutar contra a Autoridade, o primeiro anjo criado e que se considera o deus do multiverso, superior a todos e causador do comportamento da Igreja. Lyra e Will têm que ser corajosos para não perderem nesta guerra, pois perder significa que o universo – e os vários mundos dentro dele – como se conhece desapareceria. Alianças que mudam de lado, personagens que não sabemos, até o último segundo, se são boas ou más e um dos amores mais lindos e doloridos da literatura criaram um desfecho impressionante para uma série inteligente e cheia de aventuras, que foi classificada como jovem-adulta mas que é para todas as idades.

Eu disse na resenha do primeiro livro que achava a classificação da história meio equivocada, e continuo a dizê-lo, mas agora explico melhor: não é que adolescentes não fossem gostar ou entender o livro, mas simplesmente que adultos possivelmente se beneficiariam muito da  leitura, e talvez muitos não se aproximem dela por causa da estante em que ficam. Assuntos tão complexos quanto crenças religiosas e ateísmo, primeiro amor e despertar da sexualidade e a capacidade das crianças em se virarem sozinhas, ainda que ninguém acredite que elas podem fazer isso, são abordados o tempo todo, num universo onde não há tanto medo pelos infantes. Essa trilogia me ensinou muito, além de ter me mantido distraída por um tempo, já que eu não parava de pensar na história. Recomendo, recomendo, recomendo!

Espero que tenham gostado! Boa semana para todos nós e até a próxima!

Trilogia “Fronteiras do Universo”:

01- A Bússola de Ouro

02- A Faca Sutil

03- A Luneta Âmbar


Tem algo a acrescentar?