Água para Elefantes (Water for Elephants) – Sara Gruen

Oi amores! Adivinhem só: FÉRIAS!!! Estou tão emocionada e aliviada, que vocês não tem ideia! Tudo bem que tenho um projeto inteiro pra desenvolver nesse período de um mês e duas semanas antes de começarem as minhas aulas, mas mesmo assim estou felicíssima! E como eu sou assim, uma pessoa super bacana, vim trazer mais uma resenha pra vocês! Eu sei, eu sei, é um milagre! kkk! Vamos então? O livro do dia é “Água para Elefantes”.

agua-para-elefantes

Eu queria ler esse livro há muito tempo, e em janeiro finalmente sanei minha vontade. E muito bem sanada, por sinal! O livro conta a história de Jacob Jankowski, que não sabe se tem 90 ou 93 anos. Jacob teve uma vida dura, difícil, linda e interessante, e é através de seus relatos sobre o passado, intercalados com passagens sobre sua vida atual, em uma casa de repouso. Aliás, é por causa da chegada do circo no estacionamento ao lado da casa de repouso que Jacob começa a contar sua história, que tem uma relação muito grande com o circo – um tipo de circo que eu nem cheguei a conhecer, um circo que viajava em trens!

Jacob era um estudante de veterinária, e pouco antes de seus exames finais recebeu a notícia de que seus pais haviam falecido. Para complicar ainda mais, ele descobre que todos os bens de seus pais estão hipotecados, e que ele não tem mais nem um centavo para estudar. Meio em choque com a notícia, Jacob anda sem parar, até que resolve pular em um trem, que ele nem imaginava que o fosse o trem do Circo Irmãos Benzini – O Maior Espetáculo da Terra. Ele só é admitido por ter uma grande habilidade com animais, mas é lá mesmo que ele acaba por ficar.

No circo, Jacob percebe que a hierarquia conta muito, e que coisas sinistras podem ocorrer se necessário for para manter tudo funcionando. Lá ele faz amigos, como Walter (que no início é rabugento, mas depois é um amigão), e a elefante Rosie, que ele aprende a treinar, e de quem cuida. Ele conhece o amor na forma de Marlena, uma artista que faz os números com os cavalos e com Rosie, mas tem que ter cuidado, pois além de ela ser casada, seu marido, August, é um homem extremamente instável, que assusta um pouco. Ele precisa viver esse amor, e precisa ser feliz, mas como, com tantas dificuldades?

O livro é lindo. Tem um jeito de antigo, vintage mesmo, sabe?, que eu amo de paixão. É naquele estilo “submundo” que vocês já perceberam que eu gosto, e tem um final feliz! É lindo de viver, e eu adoro especialmente a capa! Aliás, pra quem achou o nome estranho, vai perceber logo que ele tem um significado dentro da história! SUPER RECOMENDADO! Leiam e apaixonem-se também por Rosie, Marlena, Jacob, Walter e pelos circos que se movem sobre trens. Beijos a todos e até a próxima!


Tem algo a acrescentar?