As Esganadas – Jô Soares

Oi! Estava aqui olhando minha estante no skoob, vendo os livros lidos e escolhendo o que resenhar. Me dei conta de que só li dois livros do Jô Soares até hoje, “O Xangô de Baker Street” e esse, “As Esganadas”, e gostei bem mais desse segundo, então vai ser a resenha de hoje. (Se quiserem saber se eu já li algum livro, podem checar minha estante, é aberta ao público como a de todos os usuários do skoob.)

“As Esganadas” é uma história policial que se passa no Rio de Janeiro dos anos 30. Mulheres gordas estão sendo assassinadas, seus cadáveres expostos com o estômago cheio de comida – finos doces portugueses, para ser mais exata – e a polícia não consegue desvendar o crime. O chefe de polícia, Filinto Muller, está preocupado com os rumos da investigação (afinal, as moças assassinadas são filhas de famílias ricas e importantes na cidade), que não está alcançando resultados. Ele designa para o caso o delegado Mello Noronha, que conta com o auxílio de seu assistente pessoal, o inspetor Valdir Calixto. Como mesmo assim a investigação parece estacionada, Noronha aceita a ajuda de Tobias Esteves, um investigador português inteligentíssimo, mas que já não trabalha mais com a polícia portuguesa devido a um “problema” no passado. Além dos três, uma jovem jornalista, Diana de Souza, se apresenta e quer ajudar. Cobrir o caso pode ajudar sua carreira jornalística, e ela está disposta a correr qualquer risco!

Bom, vou começar pela escrita. O Jô é um excelente escritor. Como diz o resumo escrito por Luis Fernando Verissimo, Jô Soares é um grande fazedor de tipos, e as personagens (chego nelas já já) são sempre muito boas. Gostei bastante da pesquisa histórica que ele fez: sentimo-nos vivendo no Rio dos anos 30 de tão bem descrita que é a cidade! As transmissões de rádio inseridas durante a narrativa são um charme a mais, e são engraçadas. A escrita é fluida e a história corre bem, dá pra entender o que acontecer logo.

As personagens são ótimas, muito engraçadas. Gostei especialmente de Valdir Calixto, que é um medroso e que acaba dando sugestões boas ao longo da história, que são sempre desconsideradas por seu superior hierárquico justamente pela fama de medroso do auxiliar.

O problema vem ao analisar a trama em si. Jô inova, e já começamos o livro sabendo quem é o criminoso e o motivo para cometer seus crimes, mas a investigação em si é bem boba. Não sei se é porque já li tantos livros policiais, ou ainda se é porque a intenção dele era (supostamente) que o livro fosse mais focado no humor do que na investigação, mas não vi tanta graça. Assim como aconteceu em “O Xangô de Baker Street”, eu esperava bem mais. Passa longe de ser um excelente romance policial, mas é um bom livro, que eu recomendaria pra uma leitura leve, pra se distrair e não pensar muito. Para quem quer conhecer a escrita do autor, “As Esganadas” é uma boa escolha!

Espero que tenham gostado! Bom resto de semana e até a próxima!


2 thoughts on “As Esganadas – Jô Soares

    • Oi Camis! Se você gostou deve gostar desse! Não foge do estilo pessoal dele! Eu pessoalmente o acho engraçado, e as personagens dele são muito boas, mas não me dei tão bem assim com os livros, sabe?

      Beijos!

Tem algo a acrescentar?