Baunilha e Chocolate (Vaniglia e Cioccolato) – Sveva Casati Modignani

Olá! Acho que estou saudosa de uma terra que ainda não conheço, já que o romance de hoje também se passa na Itália (e esse, pra completar, é veramente italiano). Nunca tinha lido nada de Sveva Modignani, mas encontrei esse livro na biblioteca da faculdade há uns dois anos e, sem pretensões, comecei a ler. A resenha de hoje é do agridoce “Baunilha e Chocolate”.

Bom, o livro conta a história de um casal, aparentemente com uma família perfeita, que está em crise depois de 18 anos de casamento. Penelope (esse é o nome da minha gata de estimação!) descobre que o marido a trai constantemente, em diversos casinhos que começaram logo no início do casamento dos dois. Desolada por ver seus sonhos em família ruindo, ela procura refúgio em uma casa de sua família em Cesenatico, para pensar sobre seus próximos passos, deixando Andrea responsável por cuidar da casa e dos filhos dos dois, tarefas que, até ali, eram exclusivamente dela. Enquanto Penelope relembra sua vida, tenta se refazer e descobrir se o amor será suficiente para reconstruir seu casamento, Andrea começa a descobrir o universo complexo que é sua própria família: os problemas de cada um dos (três!) filhos, os problemas da casa, e o que parece se passar na cabeça da esposa. Seria o afastamento suficiente para remendar a relação? Ou será que não há mais volta, mesmo que o amor exista?

Como eu disse logo no início, esse foi o primeiro livro que eu li dessa autora, que, descobri depois, é considerada uma das grandes autoras da Itália atualmente, com mais de 20 obras publicadas! Como tive uma experiência boa com este, vou procurar mais livros dela para ler (de preferência, em italiano, pra praticar). A escrita do livro mostra o ponto de vista tanto de Penelope quanto de Andrea, e Mondignani conseguiu me impressionar com sua sensibilidade ao narrar uma história tão complicada. Uma separação de um casal de que se ama não pode ser fácil, e a dor que ambos os protagonistas sentem acaba passando um pouco para o leitor, que fica na torcida por uma resolução digna de todo o carinho que foi vivido entre os dois até ali. A escrita é muito tranquila, e mesmo que algumas situações tensas tenham sido narradas no livro, me senti como se estivesse lendo sentada na areia, na beira do mar. Pra quem gosta de um livro mais corrido, cheio de emoções fortes, esse não é o indicado!

As personagens são muito bem construídas. Gostei dos protagonistas, especialmente de Andrea tentando colocar ordem na casa e nos filhos (foi bem engraçado). Penelope me surpreendeu muito ao longo do livro, e até que gostei dela. Irene, mãe de Penelope, me dava nos nervos com suas tentativas de ser mais jovem do que realmente era. Mas gostei mesmo de Sofia, a amiga de Penelope que manda embora o marido que a trai, para pôr fim ao próprio sofrimento e cortar o mal pela raiz. Os filhos de Penelope (Daniele [esse é um nome masculino, na Itália], Lucia e Luca) foram um espetáculo à parte: inteligentes, cheios de seus próprios problemas, mas bons e gentis, bem criados pela mãe; fizeram o pai sentir na pele como é difícil cuidar de dois adolescentes e uma criança, mas isso ajudou a todos a se unirem mais. Acho que a melhor característica da autora são suas personagens, bem construídas e embasadas.

Gostei bastante do livro, apesar de ter me decepcionado um pouco com o final, que não combinou tão bem com a história. Recomendo a leitura, no entanto, porque acho que cada um deve tirar dali uma lição importante sobre amor, companheirismo e fidelidade. Espero que tenham gostado! Bom fim de semana e até a próxima!

P.S.: Desejem-me boa sorte! Vou dançar no domingo =)


Tem algo a acrescentar?