Chocolate (Chocolat) – Joanne Harris

Oi! Não sei vocês, mas cada semana que passa nesse 2013 tenho mais coisas pra fazer, então hoje pedi auxílio aos universitários (cofcof) pra escolher o livro da vez, e acabou sendo um que estou enrolando para resenhar há tempos: Chocolate.

“A chegada da misteriosa forasteira Vianne Rochet e de sua filha Anouk na pequena cidade francesa de Lansquenet-Sous-Tannes muda para sempre a vida de seus habitantes. Vianne abre uma loja especializada em chocolates finos bem em frente à igreja. O local é visto pelo cura do vilarejo – o padre Reynaud, um homem com um grande mistério escondido em seu passado – como uma ameaça à integridade de seu rebanho, principalmente diante da proximidade da quaresma, um tradicional período de abnegação.
Criando uma atmosfera fantástica e mágica, os aromas e sabores dos doces não provocam apenas o paladar dos moradores de Lansquente. Liberam, também, paixões e desejos reprimidos, o que é tomado como influência demoníaca pelo padre. O conflito com a igreja agrava-se ainda mais quando Vianne anuncia um festival de chocolate no domingo de Páscoa. Horrorizado com a perda de influência sobre a comunidade, o padre elabora um plano para acabar com a festa, com resultados imprevisíveis que mudam para sempre a vida dos habitantes do lugarejo.”

Algumas pessoas devem conhecer o livro por causa da adaptação cinematográfica, estrelada pela Juliette Binoche, pelo Alfred Molina e pelo (lindo-maravilhoso) Johnny Depp, mas o livro tem diferenças bem grandes da adaptação. Lembro-me de ler e colocar as histórias como paralelas, mas se tocando em muitos pontos. A história em si tem um “quê” de fábula, é meio fantástica. A escrita da Joanne é fluida, mas com um tantinho de obscuridade, não sei se pelo estilo da história, o modo como ela queria contá-la, ou se é como ela escreve no geral (questionamentos a serem respondidos quando ler alguma outra coisa dela).

As personagens são bem consistentes, e não tem como não se apaixonar. Gosto de Vianne, Anouk e até do padre Reynaud, mas acho que a personagem mais encantadora foi Armande, uma senhora velha e ranzinza, que foi afastada do neto pela filha “papa-hóstias”, mas que tem um coração doce, que ela mantém escondido o tempo todo. Roux foi uma personagem complicada pra mim: tinha me apaixonado pela ideia de um cigano meio romântico (e teimoso) que o Depp interpretou, mas a personagem do livro não é exatamente assim. Aliás isso foi o que me incomodou no livro: achei que faltou romance.

Chocolates são presentes de namorados apaixonados, são ligados ao amor romântico, à sensualidade e ao calor, e no romance fiquei com a distinta impressão que tudo era um pouco frio demais. Vianne é uma personagem interessante, mas para uma mulher tão cheia de poderes e habilidades me pareceu meio cética, meio fria. E apesar de achar que o final do livro condiz com o que a autora estava narrando, senti uma ligeira falta de sorrisos e alegrias. Acabei descobrindo que o livro ganhou duas sequências, que vou listar abaixo, mas não tenho ideia de quando poderei lê-las. Talvez meu sentimento de “inacabado” tenha vindo disso, e, quem sabe, as próximas leituras sosseguem meu coração para o final das aventuras de Vianne.

Resumo da ópera: o livro é muito bonito, com traços de frieza, doçura e mágica. Uma mistura irresistível para quem gosta de doces e da magia que há neles – pra mim, certamente, foi mágico, ainda que não 100% satisfatório. Recomendo!

Espero que tenham gostado! Boa semana para todos nós e até a próxima!

Chocolate:

01- Chocolate

02- The Lollipop Shoes (ainda não publicado no Brasil)

03- Peaches For Monsieur le Curé (ainda não publicado no Brasil)


3 thoughts on “Chocolate (Chocolat) – Joanne Harris

  1. Pingback: O Último Magnata (The Love of the Last Tycoon) - F. Scott Fitzgerald

Tem algo a acrescentar?