Cinco Minutos – José de Alencar

Oi! Ainda de repouso mas já bem melhor vim trazer uma resenha curtinha, porque preciso de tempo pra terminar algumas coisas. Hoje vou resenhar um conto, mas um que é um pouco maior do que as pessoas costumam considerar um conto – se tiverem interesse, pesquisem um pouco sobre a definição de conto e verão como ela não é exata nem mesmo entre os estudiosos de literatura!  Hoje é dia de José de Alencar e seus “Cinco Minutos”.

“Um rapaz perde seu ônibus por cinco minutos e, ao entrar no seguinte, senta-se casualmente ao lado de uma mulher cujo rosto estava coberto por um véu. A moça permite que ele lhe segure as mãos e lhe beije o ombro. A fim de localizar sua amada misteriosa, o narrador vai descobrindo mais detalhes sobre sua musa e espanta-se com os recursos da moça para permanecer incógnita. Várias viagens são necessárias até que o mistério se resolva e o casal possa encontrar a felicidade.”

Bom, a história é curtinha, tem entre 50 e 60 páginas, a depender da edição, mas é bem interessante. A narrativa de Alencar é um tanto floreada para descrever os sentimentos dos jovens e os dois são meio exagerados – fruto de suas idades e da época em que a história se passa – mas tudo se junta para formar uma combinação adorável e uma história leve e gostosa de ler.

As personagens principais são as que mais aparecem, e as secundárias servem apenas para fazer a história andar, sem terem enredos próprios ou histórias secundárias a serem desenvolvidas. É uma narrativa epistolar, então tudo é contado do ponto de vista do rapaz, D., que dirige a carta a uma prima. O nome de sua amada só é revelado quase ao final da história, e é interessante perceber como personagens cujos nomes sequer conhecemos podem nos cativar tanto.

Li essa história quando era bem novinha, devia ter uns 10 anos, e depois a reli para uma prova na faculdade. Foi bom reler e saber que tantos anos depois eu ainda gostava da história, e que ela era tão doce quanto me lembrava! Já mencionei que adoro José de Alencar, então fica mais uma recomendação de uma obra dele!

Espero que tenham gostado! Boa semana para todos nós e até a próxima!


Tem algo a acrescentar?