Coraline (Coraline) – Neil Gaiman

Oi! Não sou uma especialista em Gaiman, este foi apenas o segundo livro dele que eu li (o primeiro foi Stardust, que está resenhado no blog), mas até agora gosto do que vejo, então escolhi esse livro pra começar a semana. É infantil, mas como parece ser comum nas obras dele, é um tanto assustador; pra começar a semana no pique, hoje é dia de “Coraline”.

“Coraline” conta a história de – oh, que surpresa! – uma menina chamada Coraline (Jones). Ela acaba de se mudar com sua família para uma casa muito antiga que foi dividida em flats, e tem como vizinhos duas atrizes aposentadas – Miss Spink e Miss Forcible – e um treinador de um circo de ratos – Mr. Bobo – mas o flat imediatamente vizinho ao dela está vazio. Coraline não anda recebendo muita atenção dos pais, que trabalham bastante, e descobre uma porta trancada no apartamento. Ela recebe avisos misteriosos dos vizinhos para que não atravesse a porta, pois correrá perigo – os vizinhos não sabem que a estão alertando disto – mas resolve abrir a porta assim mesmo. Do outro lado, ela encontra uma versão de seu próprio flat, com a diferença de que no Outro Flat tudo é melhor do que em sua própria casa: os melhores brinquedos e as melhores comidas estão lá, além da Outra Mãe e do Outro Pai, versões de seus pais que têm botões no lugar dos olhos. Quando a Outra Mãe propõe que Coraline fique com eles (para isso, ela deve deixar que seus olhos sejam substituídos por botões) e a menina recusa, toda a maravilha do outro mundo muda para um ambiente macabro onde ela deve enfrentar seus medos para resgatar seus pais verdadeiros.

Bom, a história toda é macabra, mas eu gostei justamente por isso! Gostei também porque é diferente do que estamos acostumados a ler, especialmente em termos de histórias infantis – eu sei muito bem que a origem dos contos de fadas não é a coisa mais doce desse mundo, mas falo disso em um próximo post, ok? O mais interessante é terminar a leitura e ficar se perguntando até que ponto tudo o que acontece é imaginação de Coraline, já que o universo que Gaiman traça em suas obras, pelo que pesquisei, quase sempre tem um tom macabro.

Gostei de Coraline porque ela é uma menina inteligente, viva. Na versão do livro ela não se deixa levar pela conversa dos Outros Pais nem por um minuto (na animação não é bem assim). Gostei do Gato também, e de como ele, além de desempenhar um papel importante, tem sempre um tom de sarcasmo para falar (tenho dois gatos, e mesmo sabendo que os dois são super dóceis, imagino que se pudessem falar usariam um tom desses pra falar comigo pelo menos de vez em quando). As personagens do Outro Mundo são bem assustadoras, mas são interessantes. O Cabaret eterno das atrizes vizinhas de Coraline é um pesadelo à parte, na minha opinião, mas deu um tom interessante ao Outro Lado.

Em resumo, o livro é muito bom, mas pode ser um pouco assustador para as crianças em si – não sei por que insisto em seguir as classificações das editoras! Mais do que recomendado!

Espero que tenham gostado! Boa semana para todos nós e até a próxima!


Tem algo a acrescentar?