Decapitados – Leonardo Brasiliense

Oi! Ainda estou de férias, então este é mais um post programado. Na sexta feira teremos um post extra para compensar a semana passada, em que só tivemos uma resenha. Hoje é dia de “Decapitados”, que eu ganhei no sorteio do Comentário Premiado do blog Leitora Compulsiva.

decapitados_capa

“Em uma demonstração de carinho e respeito, os moradores de Vale São José, uma pequena cidade do interior do Rio Grande do Sul, decidiram retirar o crânio do falecido monsenhor e mantê-lo em uma urna de vidro no cemitério. Assim, ele jamais seria esquecido. Mas, quando a relíquia religiosa desaparece, tanto as instituições quanto as relações entre as pessoas são desestruturadas, e a cidade se transforma em uma grande confusão. Em meio ao caos está o jovem Alexandre, que encontrou, sem querer, o objeto desaparecido, e vê todo o seu futuro assim como o da cidade ameaçado por não fazer ideia de como devolve o crânio o crânio sem ser descoberto.”

Como eu contei lá no início, ganhei este livro num sorteio do Comentário Premiado do blog da Camis. Foi a segunda vez que eu ganhei, mas dessa vez eu ganhei o livro, além dos marcadores. Camis, eu adorei o presente, muito obrigada!

Bom, a história é bem boa, mas eu senti falta de um desfecho melhor. Explico: é que o desenvolvimento é realmente interessante, cheio de reflexões sobre as personalidades dos moradores da cidade se revelando frente ao mistério da caveira sumida, que afeta mais pessoas do que se poderia esperar à primeira vista (alô amor pelo submundo…), e a cidade vai ficando completamente descompensada com um acontecimento que poderia ser considerado banal por alguém de fora. E aí o desfecho, que vem na forma de um conto, ao final do livro, é bem sem graça. Fiquei esperando alguma coisa bem interessante, mas deu a impressão de que o autor ficou com preguiça de terminar – ou que achou que estava sendo muito revolucionário deixando a história daquele jeito, o que só me dá preguiça.

As personagens são bem razoáveis, mas não são o ponto alto da história, ainda que eu tenha gostado de suas transformações. Gostei do protagonista, Alexandre, e do pobre Padre, de quem acabei por gostar, provavelmente, por pena da situação que acontece em determinado ponto do livro, mas que não posso contar qual é pra não estragar a surpresa. De qualquer modo, o livro é bom. Passa longe de ser a melhor coisa que eu já li na vida, mas é bem razoável sim, e eu recomendo.

Espero que tenham gostado! Bom resto de semana para todos e até a próxima!


Tem algo a acrescentar?