Desafio Literário 2011: Abril – Ficção científica. O guia do mochileiro das galáxias

Posted on

Oi gente! Finalmente li mais um livro do desafio literário! Tá fora de ordem, eu sei, e estão faltando os livros de fevereiro e março, mas não se preocupem que eles virão para cá, ok? O livro do mês é “O Guia do Mochileiro das Galáxias” e bom, como esse livro é meio… diferente (rss), vou usar o guia das meninas do desafio pra escrever a resenha, ok?

O livro é sobre: as aventuras de Arthur Dent, um humano que, graças à ajuda de Ford Prefect (que ele pensava ser um humano como ele, mas que na verdade é um alienígena vivendo por 15 anos na terra e esperando uma carona para continuar sua vida como Mochileiro das Galáxias) consegue escapar da terra minutos antes de ela ser destruída, e passa a viver aventuras pela galáxia.

Eu escolhi este livro por que: já tinha ouvido falar muito dele, e o Desafio foi a oportunidade perfeita para lê-lo

O que mais me chamou atenção na capa foi:  o tom divertido, já que ela tem desenhos. Parecia um livro mais infantil, mas desde a primeira página percebe-se que é só uma impressão, crianças provavelmente enlouqueceriam lendo um livro desses! (rss)

A leitura foi: divertida e deliciosamente confusa. Não me entendam mal, dá pra entender o que acontece no livro sem nenhum problema, só que as personagens usam nomes que teoricamente são de seres, planetas e coisas que estão nessa tal galáxia, só que como foram inventados pelo autor e nunca se ouviu falar deles na vida, deixam o leitor um pouquinho confuso. Mas é um livro muito engraçado, e eu ri feito louca!

As “personagens” que eu gostaria de ter “dado uns tapas” são: Zaphod Beeblebrox. Ô criaturinha chata, meu Deus do céu!

Trecho que mais gostei: na verdade eu não tenho um trecho favorito, então vou escolher um que gostei muito

“A única pessoa para quem a casa tinha algo de especial era Arthur Dent, e assim mesmo só porque ele morava nela. Já morava lá há uns três anos, desde que resolvera sair de Londres porque a cidade o deixava nervoso e irritado. Também tinha cerca de 30 anos; era alto, moreno e quase nunca estava em paz consigo mesmo. O que mais o preocupava era o fato de que as pessoas viviam lhe perguntando por que ele parecia estar tão preocupado.

Trabalhava na estação de rádio local, e sempre dizia aos amigos que era um trabalho bem mais interessante do que eles imaginavam. E era mesmo ― a maioria de seus amigos trabalhava em publicidade.”

A nota que dou para o livro: 4

( 1- Não gostei 2- Gostei pouco; 3- Gostei; 4- Gostei bastante; 5- Adorei)

É isso gente! E aí, gostaram? Beijos a todos e até a próxima!


Tem algo a acrescentar?