Eles Não Usam Black-Tie – Grianfrancesco Guarnieri

Oi! É feriado mas aqui não tem folga – mentira, ia ter sim, mas eu ainda devo uma resenha no saldo dos dias enrolados de umas semanas atrás. Fiquemos então com uma resenha que é especial: anos atrás eu ia participar de um Desafio Literário, e… oh well, não deu muito certo… de qualquer modo, antes tarde do que nunca, e aqui estou eu com “Eles Não Usam Black-Tie”.

blacktie

Eles não usam black-tie situa-se numa favela, nos anos 50, e tem como tema a greve, e ao lado da greve a peça tem como pano de fundo um debate sobre as grandes verdades eternas, reflexões universais sobre a frágil condição humana, sobre os homens e seus conflitos. É a história de um choque entre pai e filho com posições ideológicas e morais completamente opostas e divergentes, o que, por sinal, dá a tônica dramática ao texto. O pai, Otávio, é operário de carreira, um sonhador, um idealista, leitor de autores socialistas e, ao mesmo tempo um revolucionário por convicção e consciente de suas lutas. Forte e corajoso entre os seus companheiros, experimentou várias lideranças, algumas prisões, com isso ganha destaque entre os seus transformando-se num dos cabeças do movimento grevista. O filho, Tião, em razão das prisões do pai grevista, é criado praticamente, na cidade, longe do morro, com os padrinhos, sem conviver com esse mundo de luta e reivindicação da classe operária. Hoje adulto e morando no morro com os pais, vive um dos maiores conflitos de sua vida. Em primeiro lugar não quer aderir à greve, pois acha que essa é uma luta inglória, sem maiores resultados para a classe. Em segundo lugar pretende se casar com Maria, moça simples, porém determinada e leal ao seu povo, e está esperando um filho seu. Desta forma, Tião está mais preocupado com o seu futuro do que com a luta de seus companheiros, que sonham com melhores salários, e é este conflito que faz girar a peça – e que pega o leitor em suas reflexões.”

Bom, como eu contei lá em cima – e se você abrir o link lá em cima poderá ver como funcionava -, esta peça era parte de um Desafio Literário; mas eu não a escolhi sem motivos: minha professora de Artes Cênicas no Ensino Médio falava bastante dessa peça e eu acabei por me interessar, mas minha escola, na época, não tinha uma biblioteca – eu sei, vergonhoso! -, então eu acabei adiando por anos o início da leitura. Este ano resolvi finalmente colocar essa leitura no lugar, e assim, finalmente, trouxe o livro para o blog.

A peça se revolve em torno do conflito do pai, Otávio, e do filho, Tião, que têm visões completamente diferentes sobre greves, o que faz com que a trama levante questões de moral muito interessantes. Me peguei dividida em certos momentos, porque costumo me colocar no lugar das personagens, quando leio, e por isso conseguia entender o conflito que se passava na cabeça de cada uma delas. É uma leitura rápida e muito boa, que faz a cabeça funcionar e que deixa todos pensando. Acho que as personagens bem construídas ajudaram muito, porque são muito humanas e razoáveis, e assim fez mais sentido o quanto o conflito sobre greve ou não greve as afetou. Gostei muito da história e de como ela foi conduzida e recomendo! Acho que todo mundo poderia aprender um pouco mais sobre espírito de equipe, sempre.

Espero que tenham gostado! Boa semana para todos nós e até a próxima!


2 thoughts on “Eles Não Usam Black-Tie – Grianfrancesco Guarnieri

  1. Oi, Nina.
    Confesso que não sou muito fã de peças teatrais… Na verdade, eu gosto de assistir as peças, mas não de ler o texto. Acho que a estrutura não me cativa muito!! Sei lá… Mania só!! rs…
    Sobre o seu desafio, antes tarde do que nunca!! rs….
    Beijos
    Camis

    • Camis, consigo te entender! Realmente, ler peças teatrais não é pra todo mundo, mas eu gosto bastante!
      Sobre o meu Desafio: nessa lógica, até 2050 eu posso terminá-lo numa boa, né? rss!

      Beijos!

Tem algo a acrescentar?