A Escriba (La Escriba) – Antonio Garrido

Oi! Descobri que meu humor flutuante do início da semana tinha um nome mais específico: mau humor. Não identifiquei totalmente as fontes ainda, mas espero que passe, porque detesto me sentir assim! Como não estou lá um poço de simpatia, resolvi falar de um livro de que não gostei e que li no primeiro semestre desse ano. Presente da minha mamma, hoje é dia de “A Escriba”.

escriba

A história de passa na Germânia, em 799, quando Carlos Magno está prestes a ser coroado pelo papa Leão III o monarca do novo Império Romano do Ocidente. O papa o vê como uma esperança para o cristianismo de fazer frente aos povos bárbaros. O futuro rei confia então ao escriba bizantino Górgias a tradução de um documento de vital importância para suas pretensões, com a condição de que o trabalho seja conduzido com sigilo absoluto. Tudo muda com o desaparecimento de Górgias. Sua filha, Theresa, é vítima de uma falsa acusação, segundo a qual teria sido culpada por um grande incêndio. Fugitiva, esconde-se na cidade vizinha e lá conhece o frei bretão Alcuíno de York, que se dedica a investigar a praga que devasta as redondezas. Com a missão de salvar o pai e protegida pela suposição de que teria morrido no incêndio, ela e Alcuíno deverão combater uma conspiração em que podem estar em jogo os próprios rumos do cristianismo. Theresa precisará voltar e, com a ajuda de seu novo mentor, assumir seu lugar no combate a uma conspiração da qual pode depender o futuro da cristandade.”

Como eu disse lá no início, ganhei o livro de presente, e a história me chamou a atenção. Comecei a ler na mesma hora, ávida, e me decepcionei terrivelmente com o conjunto da obra! História, narrativa e personagens formaram um conjunto tedioso e mal feito que me deixou bem furiosa – a premissa era tão boa e tinha sido arruinada!

Começando pela história, o que parecia que ia se organizar não se organizou: fatos demais foram reunidos e tremendamente mal explicados, e o que era pra ser um mistério eletrizante apoiado em fatos históricos virou um amontoado de informações mal reunidas; primeira coisa que eu não gostei. A narrativa é cansativa, cheia de voltas e meandros bobos e algumas vezes tão confusa quanto a história; segunda coisa que eu não gostei. Pra fechar a tríade de coisas ruins, as personagens são terríveis! Nada críveis, extremamente irritantes e, em muitíssimos casos, dispensáveis; terceira coisa que eu não gostei. Esse é um dos livros que eu não recomendo, de jeito nenhum, já que conseguiu a proeza de ser fraco em tudo – coisa rara! Espero que vocês encontrem coisas melhores por aí, e com certeza vão, já que este daqui é muito muito ruim!

Espero que vocês tenham gostado! Bom resto de semana para todos e até a próxima!


Tem algo a acrescentar?