Inocência Mortal (Innocent in Death) – J. D. Robb

Posted on

Oi! Não, não é miragem: aqui estou eu de volta, na minha primeira semana de recesso, pra fazer uma resenha novinha em folha. Aliás hoje é um dia bem legal: além de voltar a resenhar, que é algo que estava bem me fazendo falta, volto com o último livro da Série Mortal que foi traduzido no Brasil, o que significa duas coisas: 1- os próximos livros a serem resenhados serão já em acompanhamento das traduções no Brasil e 2- mesmo aos trancos e barrancos meu projeto deu certo – estou bem feliz de ver que essa minha mania de resenhar uma série toda não está perdendo propósito ou parando de funcionar! Em tempo, hoje é dia de “Inocência Mortal”.

inocenciamortal

Pode conter spoilers involuntários dos livros anteriores

“A morte do pacato professor de história Craig Foster chocou os colegas da escola de elite onde lecionava, assim como traumatizou de forma irreparável as meninas de apenas dez anos que encontraram o corpo na sala de aula. A tenente Eve Dallas, acostumada a investigar mortes inesperadas, logo percebe que este é um caso de assassinato. O almoço do professor continha um ingrediente fatal: ricina, um poderoso veneno. Enquanto isso, entra em cena Magdelana Purcell, uma loura bela e esbelta, antiga paixão de Roarke, o multimilionário marido da tenente Dallas, da época em que ele atuava do lado errado da lei. Infelizmente, Roarke se mostra cego às óbvias manipulações da estonteante e nada inocente mulher, sensibilizado por sua figura curvilínea e seus flertes incontestáveis. Diante dos próprios problemas, Eve sente dificuldades em se concentrar no caso Foster. Mesmo assim, precisará pôr de lado sua raiva, seu ciúme e sua mágoa, porque a investigação ganhará contornos aterradores depois da ocorrência um segundo assassinato na escola — e isso, mais do que tudo, a levará a becos sem saída.”

Sabe um bom mistério policial? Daqueles que você fica desesperado pra saber o culpado, mas parece simplesmente impossível? É esse. Este foi, sem dúvida, um dos melhores livros da série, e os motivos são vários: o primeiro é o mistério em si – difícil de entender, com um assassino surpreendente e uma resolução daquelas nos 45 do segundo tempo. O segundo é a vida pessoal da Tenente e seu relacionamento com Roarke, que pela primeira vez passa por um problema que envolva uma terceira pessoa – e que inclui uma rara porém divertida parceria entre Eve e Summerset. E o terceiro é ver como, ainda que esteja cheia de problemas, nossa Tenente preferida ainda consegue trabalhar com competência e resolver os problemas que vão aparecendo. Eu gostei muito do livro, mas achei que certos pontos dele são bem pesados, então pode ser que nem todo mundo se empolgue da mesma forma que eu. Ainda assim, recomendo, recomendo, recomendo!

Espero que tenham gostado! Boa semana para todos nós e até a próxima!


2 thoughts on “Inocência Mortal (Innocent in Death) – J. D. Robb

  1. Oi, Nina.
    Você sabe que eu sou até suspeita quando o assunto é Série Mortal.
    Essa é de longe a minha série predileta, já que tem tudo o que eu mais gosto em livros: romance, ação, crimes, humor…
    A cada livro que passa a vida pessoal da Eve e do Roarke me surpreende mais. Esse com certeza é um dos melhores casos que ela investigou até agora!!
    Beijos
    Camis

Tem algo a acrescentar?