Macbeth (Macbeth) – William Shakespeare

“Double, double, toil and trouble

Fire burn and cauldron bubble”

Macbeth – William Shakespeare

Oi! Chove em Brasília, e eu, como sempre fico quando o tempo está assim, estou bem sorridente. Para combinar com meu humor e com o tempo escolhi uma peça de um dos meus autores preferidos. É dia de “Macbeth”!

“Macbeth é um general do exército escocês, muito apreciado pelo seu monarca, o rei Duncan, por sua lealdade e seus préstimos guerreiros. Um dia, ele e Banquo, outro general, são abordados por três bruxas, que fazem os seguintes vaticínios: Macbeth será rei; Banquo é menos importante, mas mais poderoso do que Macbeth; e os filhos de Banquo serão reis. Macbeth não compreende as confusas palavras das aparições, mas elas calam fundo dentro de si. Ele relata o estranho encontro para a mulher, Lady Macbeth, que, ambiciosa, exerce seu poder sobre o marido, levando-o a cometer o gesto fatal de traição ao rei, que desencadeará a tragédia dos dois e uma nova reviravolta na corte.”

Apesar de só ter lido essa peça no ano passado, ela estava na minha lista há anos: de tanto ler curiosidades sobre ela, ouvir histórias sobre as superstições que a cercam e ver seus feitiços virarem música em uma adaptação cinematográfica de um dos meus livros preferidos (Harry Potter and the Prisioner of Azkaban) minha curiosidade chegou ao ápice e, finalmente, encontrei tempo para lê-la.

Esta é a menor tragédia de Shakespeare (em termos de tamanho, não de importância), e é, certamente, uma das mais intensas que li até agora – empata, para mim, com Romeu e Julieta. A história tem uma carga dramática muito forte, então não é qualquer um que vai ter a paciência (ou a vontade) de ler, mas quem lê não se arrepende: seguindo o estilo de que já conhecemos, que mistura prosa e verso, vivemos uma história forte, interessante e muito bem escrita. Fiquei muito encantada com como a narrativa se mesclou bem com o tema da história e as personagens.

Falando nelas, as personagens são realmente históricas: o casal Macbeth chama muito a atenção, e os delírios de um e de outro são de assustar – ainda mais com os acontecimentos que vêm junto com esses delírios. As personagens secundárias são muito boas, e as que mais me chamaram a atenção foram as três bruxas: aparecendo só em momentos essenciais e com vaticínios assustadores e cruéis, elas transformam profecias torcidas em momentos de ansiedade, e suas interferências mudam todo o rumo da história.

Como eu disse ali em cima, a história é bem pesada, tem uma grande carga dramática e pode ser bem assustadora, mas eu adorei! Recomendo com gosto, e acho que combina com esse friozinho e chuva que anda caindo sem parar nos últimos dias!

Espero que tenham gostado! Boa semana para todos e até a próxima!


Tem algo a acrescentar?