A Marca de Uma Lágrima – Pedro Bandeira

Oi! Meu humor ainda não melhorou. Tá, um pouquinho, mas ainda tá instável e eu estou decepcionada com as pessoas, de modo geral. Ficar mal humorada me deixa assim, meio de mal com o mundo, mas pelo menos estou melhor que na quarta feira, então resolvi trazer a história que mencionei na última resenha, meio-que-inspirada na história de Cyrano. É dia de “A Marca de Uma Lágrima”.

a-marca-de-uma-lagrima-pedro-bandeira-13702-MLB2693312042_052012-F

“Isabel é uma moça tímida e inteligente, que se acha feia, especialmente ao lado da melhor amiga, Rosana. Como se sua vida já não fosse difícil o suficiente, Isabel se apaixona pelo primo, Cristiano, que se apaixonada por Rosana. Servindo de ponte, Isabel escreve lindas cartas em nome do primo para dar para a amiga – e em nome da amiga para dar para o primo. Sofrendo de amor, a vida de Isabel se complica mais, já que a diretora de sua escola morre e a menina foi testemunha de uma cena muito suspeita e se sente ameaçada. A ideia da morte começa a tomar conta de seu cérebro, enquanto seu coração se despedaça pelo amor de Cristiano.”

Já na sinopse dá pra notar semelhanças entre as duas histórias, né? Isabel aqui é o próprio Cyrano e Rosana e Cristiano representam Roxanne e Cristiano. Só que tem uma terceira personagem nessa história: Fernando, amigo de Cristiano e que se interessa por Isabel de cara – ainda que ela nem olhe pra ele.

É uma história juvenil, logicamente, mas tem uns elementos que, à época da primeira leitura (eu reli esse livro tantas vezes que ainda sei uns pedacinhos de cor!), me deixaram meio assustada, talvez por ver semelhanças doloridas com como eu me sentia – aposto que muita menina leitora que era chamada de nomes na escola também se identificou/identificaria com esse livro! Isabel conversa com seu maior inimigo, o espelho, e sua imagem é cruel, dizendo umas coisas tristes e horríveis para a menina, que já não se acha boa em nada. Ela é inteligente e doce, mas só consegue ver coisas ruins em si mesma. É um pouco triste que a história ainda reflita que, para encontrarmos valor em nós mesmos, procuramos ver isso nos outros. Quem me conhece pessoalmente tá me chamando de hipócrita nesse exato momento, já que eu sou bem assim, mas tudo bem, né, ainda vale a reflexão…

As personagens são muito boas! Adoro Isabel e acho que nem preciso explicar os motivos, né? Acho Cristiano um mané, mas a pessoa mais revoltante nessa história, pra mim, é Rosana: que tipo de amiga não percebe os sentimentos da outra e a usa dessa forma? Ainda que ela não soubesse da paixão de Isabel, é muita falta de vergonha pedir que ela sirva de mensageira de um sentimento que acaba por não ser nada real. Gostei de Fernando de cara, já que ele não tem vergonha de dizer o que sente e nem faz joguinhos – e em plena adolescência, ou seja, traço raro de maturidade, tanto para personagens quanto para seres reais.

No geral a história é muito boa. Não precisava dizer que o Pedro Bandeira é ótimo, mas vou dizer assim mesmo, porque pra quem nunca leu nada dele, está passando da hora! Recomendo esse livro, especialmente pra quem, como eu, fica sempre procurando seu próprio valor através dos outros: os livros ajudam mais que as pessoas, nesse caso!

Espero que tenham gostado! Bom fim de semana para todos nós e até a próxima!


Tem algo a acrescentar?