Memórias de uma Gueixa (Memoirs of a Geisha) – Arthur Golden

Oi gente! Tudo certo com vocês? Eu ando meio resfriada, mas fora isso, tudo ótimo! Hoje eu vim falar sobre mais um livro que se tornou filme, o Memórias de uma Gueixa, mas antes eu preciso dizer uma coisa ainda sobre Stardust, que eu esqueci de mencionar: ele não foi publicado no Brasil! Até onde minha pesquisa chegou, eu não o encontrei em nenhum edição brasileira, mas sei que existe em Português de Portugal e em Inglês.

Bom, sobre o livro de hoje…

gueixaMemórias de uma Gueixa conta a história da menina Chiyo, que é vendida pelo pai, junto com sua irmã, e vai parar em uma casa de gueixas, por ser muito bonita. A irmã não vai com ela, e Chiyo vive um pesadelo na Okyia(as casas de gueixas tem esse nome), pois a gueixa mais bela de lá, Hatsumomo, tem inveja de sua beleza, e atormenta sua vida. Tudo o que a Chiyo quer na vida é escapar de lá, e quando tenta acaba sendo apanhada, e como castigo, é rebaixada de aprendiz de gueixa para servente da casa.

Um dia, enquanto cumpre suas tarefas, ela conhece o Presidente de uma companhia elétrica, um dos homens mais importantes do Japão, e decide que vai ser uma gueixa, e que um dia vai conquistá-lo, pois só com aquele encontro, e pela gentileza com que ele a tratou, ela se apaixona(ela é uma criança na época, tem mais ou menos 12 anos).

Chega um dia em que a gueixa mais famosa do Japão e grande rival de Hatsumomo, Mameha, aparece na okiya e faz uma proposta à patroa de Chiyo: ela treinaria a menina para que se tornasse uma gueixa: se ela conseguisse, retornaria todos as dívidas que tem com a okiya, se não, Mameha as pagaria em dobro, e é aí que a “ação” da história começa, já que a Chiyo tem um longo caminho a percorrer para se tornar uma gueixa, e ela perdeu muitos anos de estudo.

O livro é maravilhoso gente! Eu sei que a resenha aqui ficou meio confusa, mas o livro tem muito elementos bem específicos da cultura japonesa, e é importante que vocês leiam de verdade se quiserem entender! O filme até que ficou parecido com o livro, mas é cheio de erros conceituais e de história – e por história, nesse caso, eu quero dizer aquela que a gente estuda na escola mesmo- mas fora isso, é muito bom pra ter uma noção visual de algumas coisas que a gente não conhece!

Pra quem não sabe, eu sou uma apaixonada pela cultura oriental e pela cultura egípcia, então eu devo sempre colocar coisas aqui relacionadas a essas duas culturas!

Gostaram? Espero que sim, foi tudo feito – como sempre – com muito carinho! Beijos para todos, e até a próxima!


Tem algo a acrescentar?