Moça Com Brinco de Pérola (Girl With a Pearl Earring) – Tracy Chevalier

Oi! Acordei menos exausta do que andava acordando nos últimos dias, mas também acordei mais atarefada. Fiquei feliz por ter selecionado este livro para ser o de hoje, porque é sempre mais fácil falar de algo que se gostou! É dia de “Moça Com Brinco de Pérola”.

moça-com-brinco-de-perola

“Em Delft, no século 17, reina uma ordem social rigorosa, separando ricos e pobres, católicos e protestantes, patrões e criados. Quando Griet, de 16 anos, vai trabalhar de criada na casa do mais importante pintor da cidade, espera-se que ela saiba o seu lugar. Mas na casa de Vermeer, dominada por sua esposa de gênio instável e pela sogra dominadora, a jovem logo desperta a atenção do patrão. Cativado pelo seu jeito quieto, intuição e fascínio pela arte, Vermeer leva-a aos poucos para seu mundo – um lugar calmo, de cor exótica e luz ofuscante, sombras que mudam e uma beleza inimaginável. À medida que Griet se transforma em parte vital da obra de Vermeer, a crescente intimidade dos dois traz tensão e desilusão à casa, cheia de ordem. A relação entre os dois é elusiva. Griet se torna mais que um modelo? Ou é apenas uma assistente? O interesse do artista é exagerado aos olhos dela? O que ninguém suspeita, devido ao jeito calmo de Griet, é o seu fascínio pelos quadros de Vermeer irá levá-la inexoravelmente para o mundo particular do pintor. E, ao tornar-se testemunha do processo criativo do grande mestre, sua paixão reprimida será o catalisador de um escândalo que atingirá em cheio a cidade e mudará irrevogavelmente a sua vida.”

Peguei este livro pra ler na biblioteca do meu trabalho. Dou aula de inglês em um Centro Binacional, então nossa biblioteca é excelente e cheia de opções legais de livros, e como desde a minha viagem pra Itália eu queria conhecer esta história (na época o quadro estava sendo exposto em Bologna, que eu visitei, e todas as livrarias tinham o livro à venda), aproveitei quando o vi na estante.

Depois de “Anjos Caídos” achei que ainda fosse demorar a achar alguma coisa da Tracy Chevalier pra ler, mas acabei por achar esse, e gostei muito da combinação história, narrativa e personagens. Achei que a tríade trabalhou bem para formar um livro bonito, com uma poesia nem tão escondida que me conquistou com força! A única personagem que acabou por me decepcionar um pouco foi Pieter, que se interessa amorosamente por Griet, e que teve lá suas atitudes idiotas. Nem Catharina, a esposa chata do pintor, me decepcionou, porque eu consegui entender como ela devia se sentir – ainda que não aprovasse nem compartilhasse de seus sentimentos. Ao fim e ao cabo somos todos humanos e movidos por motivos bem próprios, que não podemos explicar bem para os outros.

Este é um livro muito bonito, cheio de reflexões sobre o amadurecimento e a arte. Como Griet é a narradora, é fácil entender as motivações dela, e o que a torna quem é. A beleza da história é tão suave e doce que acho que vai agradar a muita gente, mesmo a quem, como eu, nem era tão ligada nas obras de Vermeer e no quadro que dá nome ao livro. Recomendo!

Espero que tenham gostado! Bom resto de semana para todos nós e até a próxima!


Tem algo a acrescentar?