O Diabo Veste Prada (The Devil Wears Prada) – Lauren Weisberger

Oi! Com o fim do ano cada vez mais próximo, as próximas resenhas devem ficar um tanto fora dos dias tradicionais de publicação, mas não se preocupem: ainda teremos duas por semana. Resolvi abrir a semana de natal com um livro nada natalino. Hoje é dia de conhecer a Diaba, em “O Diabo Veste Prada”.

o_diabo_veste_prada

“Neste romance, o leitor irá conhecer Andrea Sachs, uma jovem recém-formada que conquista um emprego que deveria deixar roxas de inveja milhares de garotas: o de assistente de Miranda Priestly, reverenciada editora da Runway Magazine, a mais bem-sucedida revista de moda do momento. Logo ela percebe, porém, que o emprego pelo qual um milhão de meninas dariam a vida para ter pode simplesmente acabar com a dela. De uma hora para outra, a jovem jornalista se vê num escritório onde as palavras Prada, Armani e Versace são lei e começa a conviver de perto com o fascinante mundo da moda. Fascinante, mas nem tão glamouroso assim. Ela logo percebe que, em lugar de escrever reportagens e editoriais de moda, seu trabalho na Runway será o de atender aos caprichos da chefe: Andrea precisa buscar as roupas de Miranda na lavanderia, ir à caça de baby-sitters para seus filhos, localizar do escritório em Nova York o paradeiro do motorista que deixou Miranda tomando chuva numa esquina de Paris e providenciar rapidamente a solução para pedidos os mais mirabolantes. Miranda é a personificação do pesadelo para Andrea, e vendo sua vida pessoal desmoronando, ela precisa fazer escolhas – antes que sejam feitas por ela.”

Todo mundo já deve saber que o livro foi inspirado na experiência real da autora, que foi assistente de ninguém menos que Anna Wintour, editora-chefe da Vogue New York e que penou na mão da chefe, dita uma das pessoas mais exigentes e difĩces de se trabalhar com no mundo. Quando li o livro, logo que foi traduzido no Brasil, não tinha nenhum interesse em moda, era muito “menininho” e não entendia nem as atitudes de submissão de Andrea nem toda aquela confusão em torno da moda. Pouco tempo depois, acho que menos de um ano, comecei a me interessar pelo assunto, e apesar de não ser a criatura mais fashion desse mundo, pelo menos tento não ser tão desleixada como sempre gostei de ser, e acabei por entender o frenesi da moda que acontecia no livro.

A história é fácil de ler e é fácil se identificar – em maior ou menor grau – com Andrea: quem nunca teve um chefe xarope que te trata como se seu trabalho não fizesse a mínima diferença (mesmo que não dê pra ficar sem ele)? Eu já, e foi bem chato. Só que ao contrário da Andy, que vai deixando sua vida pessoal desmoronar completamente, eu me impus, devagar e com respeito, pra mostrar que o que eu fazia era importante – e deu certo! Então sim, dá pra se identificar com a Andrea por ter que lidar com uma chefa que é uma verdadeira “Diaba”, mas não com a completa passividade com que ela encara os problemas.

Em termos de personagens, gostei muito de Miranda, que é tão maluca e pede coisas tão absurdas para suas subordinadas que te arranca risadas mesmo que você não queira. Também gostei de Emily, a assistente senior de Miranda e que treina Andy; ao contrário da colega novata no emprego, Emily ama trabalhar para Miranda, e além de ser a própria escrava feliz, ainda tenta se inspirar na chefe em tudo, inclusive no modo de se vestir, para impressioná-la. Achei Alex, o namorado da Andy, um verdadeiro banana, e Lilly, sua amiga, um pé no saco. Sou completamente a favor de apoio e carinho quando uma pessoa querida está precisando, e senti que os dois foram muito rápidos em achar que a Andy não estava lhes dando atenção.

No geral, o livro é bem bom, e a leitura vale pela diversão proporcionada. É interessante ter um insight do mundo da moda, e decidir por você mesmo o quanto vale a pena se enervar por não ter aquela bolsa ou aquele sapato. Pra quem quiser se aprofundar um pouco mais no assunto, aqui está a adaptação cinematográfica do livro, aqui o documentário “The September Issue”, que mostra a Vogue NY preparando a edição de setembro de 2007 da revista (é o número mais famoso do ano, e dá pra ver Anna Wintour trabalhando!) e aqui uma primeira leitura sobre moda, que já até mencionei no blog: “A Parisiense”, de Ines de la Fressange.

Espero que tenham gostado! Boa semana para todos nós e até a próxima!


3 thoughts on “O Diabo Veste Prada (The Devil Wears Prada) – Lauren Weisberger

  1. Pingback: Todo Mundo que Vale a Pena Conhecer - Lauren Weisberger

Tem algo a acrescentar?