O Pagador de Promessas – Dias Gomes

Posted on

Oi! O friozinho só durou a segunda feira mesmo, e hoje Brasília tem sol. Não estou exatamente feliz com isso, então escolhi um livro pra combinar com meu humor oscilante. É dia de “O Pagados de Promessas”.

45356_831

“Zé-do-Burro é um homem simples que fez uma promessa para Santa Bárbara curar seu burro, Nicolau. Quando o burro fica bom, Zé tenta cumprir a promessa – levar uma enorme cruz até o altar da Igreja de Santa Bárbara no dia dos festejos para a santa. Ao chegar à igreja, Zé e sua mulher, Rosa, encontram-na de portas fechadas. A partir daí, os interesses locais se voltam para o pequeno caso, e cada segmento social da cidade quer tomar partido da situação da forma que puder.”

“O Pagador de Promessas” é uma peça, que já foi adaptada tanto para o cinema quanto para a TV, além de ter sido apresentada em teatros várias vezes. Eu a li para a escola, quando era bem novinha, e fiquei muito marcada pelo tom da narrativa, que me pareceu, à época, bastante triste. Zé-do-burro é um homem simples, que quer apenas cumprir uma promessa, tradição católica comum até hoje, mas é impedido por ser visto como um transgressor, perturbador da ordem. Ainda que eu fosse novinha quando li o livro, logo notei que o manifesto ali presente era não só retrato de uma situação real como algo que eu já tinha visto acontecer – e vejo até hoje. Quantas vezes não vemos pessoas se aproveitando da ignorância e desinformação das outras? Quantas vezes não julgamos antes de conhecer a história toda, ou nos recusamos a ver um lado que não seja o nosso? Juntas esses elementos é criar uma receita para o desastre, e essa história mostra isso muito bem.

As personagens são extremamente humanas, muito realistas e dá pra se identificar com a miríade de sentimentos que elas apresentam no curso da história. Como eu disse lá em cima, fiquei muito tocada com a história, e um dos motivos foi justamente porque as personagens são tão reais. Fiquei realmente muito mexida, e Zé-do-burro e sua esposa me deixaram desconcertada em muitos momentos. Não foi um livro fácil pra mim: me deixou muito emocionada, muito sensível, mas é muito bonito e cheio de mensagens e críticas sociais importantes. Recomendo bastante!

Espero que tenham gostado! Bom resto de semana para todos nós e até a próxima!


Tem algo a acrescentar?