O Retrato de Dorian Gray (The Picture of Dorian Gray) – Oscar Wilde

Olá! Já era pra eu ter feito resenha desse livro há tempos, mas acabei me enrolando! É um dos meus clássicos ingleses preferidos, e o primeiro livro que eu li do Wilde. Assim como “(The Annotated) Secret Garden”, comprei “The Picture of Dorian Gray” em Boston, na Barnes & Noble, e minha edição é a da própria livraria, que imprime livros clássicos em encadernações belíssimas e muito bem feitas. Queria ter trazido todas, mas achei que 8 livros e 1 e-reader já estava de bom tamanho pra uma mala…

“Dorian Gray é um belo e ingênuo rapaz retratado pelo artista Basil Hallward em uma pintura. Mais do que um mero modelo, Dorian torna-se inspiração a Basil em diversas outras obras. Devido ao fato de todo seu íntimo estar exposto em sua obra prima, Basil não divulga a pintura e decide presentear Gray com o quadro. Com a convivência junto a Lord Henry Wotton, um cínico e hedonista aristocrata muito amigo de Basil, Dorian Gray é seduzido ao mundo da beleza e dos prazeres imediatos e irresponsáveis, espírito que foi intensificado após, finalmente, conferir seu retrato pronto e apaixonar-se por si mesmo. A partir de então, o aprendiz supera seu mestre e cada vez mais se entrega à superficialidade e ao egoísmo. O belo rapaz, ao contrário da natureza humana, misteriosamente preserva seus sinais físicos de juventude enquanto os demais envelhecem e sofrem com as marcas da idade.”

Começando pelas personagens, gostei de Dorian e, estranhamente, o detestei também. É uma criatura vazia e superficial que se importa tanto com sua aparência que não pensa em mais ninguém. Depois do “feitiço” de seu quadro começar, percebe-se claramente como Dorian é egoísta, e odiá-lo é inevitável. No entanto, ao mesmo tempo, Wilde o criou de tal forma que não deixa de ser charmoso e de conquistar a simpatia do leitor. Basil foi minha personagem preferida, já que é tão complexa: é o amor dele por Dorian que permite ao quadro e ao próprio Gray fazerem o que fazem. Esse amor é, também, o veículo de sua destruição, mas antes disso é ele quem tenta proteger Dorian da má influência de Lord Wotton mesmo depois que a amizade dos dois – Basil e Dorian – já não existe.

A história é muito bem escrita, bem amarrada e muito interessante. É a interpretação de Wilde para o Fausto, e é mais interessante, na minha singela opinião, que a peça de Marlowe (que é a única versão de Fausto que eu li até agora). Depois de Dorian Gray, li outras obras do Wilde, e percebi que gosto do estilo dele. Ele é ligeiramente irônico, mas é uma ironia finíssima, não é debochada, achei muito bem colocada na história. Recomendo esse livro com vontade! É, como eu já disse, um dos meus preferidos na literatura inglesa.

Espero que tenham gostado! Boa semana para todos nós e até a próxima!


4 thoughts on “O Retrato de Dorian Gray (The Picture of Dorian Gray) – Oscar Wilde

  1. Li esse livro quando era mais nova e sou fã!!
    Li a edição pocket porque uma professora de inglês pediu e acabei me apaixonando pela história!
    Ela é fofa, mas de fato Dorian é o tipo de pessoa que acaba rolando uma relação de amor e ódio!
    =x

    Beijinhos Ninna!

  2. Pingback: O Desafio Literário de Rory Gilmore - O Mundo da Marina

  3. Pingback: A História Trágica do Doutor Fausto - Christopher Marlowe

Tem algo a acrescentar?