O Sol é Para Todos (To Kill a Mockingbird) – Harper Lee

Posted on

Oi! Esse é mais um livro lido no início do ano. Já queria lê-lo a tempos, e quando o inseri nas minhas metas do ano – como um dos quinze livros do Desafio da Rory a serem lidos – fiquei feliz de poder, finalmente, conhecer a história, que eu tinha visto sendo citada em “The Help” o tempo inteiro. Hoje é dia de “To Kill a Mockingbird” (o título vai em inglês porque eu li o livro no idioma original e detestei essa tradução).

tokillamockingbird

““To Kill a Mockingbird” conta a história de duas crianças no árido terreno sulista norte-americano da Grande Depressão no início dos anos 1930. Jem e Scout Fincher testemunham a ignorância e o preconceito em sua cidade, Maycomb – símbolo dos conservadores estados do sul dos EUA, empobrecidos pela crise econômica, agravante do clima de tensão social. A esperta e sensível Scout, narradora da trama, e Jem, seu irmão mais velho, são filhos do advogado Atticus Finch, encarregado de defender Tom Robinson, um homem negro acusado de estuprar uma jovem branca. Mas não é só nessa acusação e no julgamento de Robinson que os irmãos percebem o racismo do pequeno município do Alabama onde moram. Nos três anos em que se passa a narrativa, deparam-se com diversas situações em que negros e brancos se confrontam. Ao longo do livro, os dois irmãos e seu pequeno amigo de férias, Dill, passam por tensas aventuras, grandes surpresas e importantes descobertas.”

Como eu disse logo no primeiro parágrafo, este livro é citado em “The Help” o tempo inteiro, e assim que você o lê os motivos ficam bem óbvios: a história de Skeeter se passa na época em que o lançamento do livro da Lee estava causando certo furor, e como ela deseja escrever sobre a situação das empregadas em sua cidade natal, a escolha deste livro para acompanhá-la e dar forças parece óbvia.

A narrativa é boa, tranquila de entender, ainda que em alguns momentos pareça um pouquinho parada. Pra quem prefere um livro bem dinâmico e corrido, esse só tem algumas passagens assim, então, paciência. Como a história é narrada por uma Scout já adulta, os três anos em que se passa a ação da história, na infância dela, têm aquele gosto agridoce de um tempo passado e perdido, e eu achei que isso deu um tom muito bonito para a história, que, apesar de ter um pano de fundo de crítica que é bem triste, tem momentos de alegria e de beleza.

As personagens são muito boas, e achei que construíram a narrativa como ficou. Gosto de Scout, a narradora meio tomboy, mas minha personagem preferida foi seu pai, Atticus. Gostei de ver como ele tinha um coração bom e nobre, ainda que sua vida não fosse nada fácil, e como tentava imprimir valores que permitissem a seus filhos crescer em paz, sendo boas pessoas. Como Scout narra já adulta, mas do jeito como via a situação à época, achei lindo ver seu entendimento de coisas que antes pareciam obscuras. Como personagens secundárias, gostei de Boo Radley (mas não posso contar o motivo) e de Calpurnia, a empregada da casa de Atticus, que praticamente cria os meninos, já que são órfãos de mãe. No geral, a história é bonita e comovente, e me tocou fundo. Recomendo de coração!

Espero que tenham gostado! Bom resto de semana para todos e até a próxima!


3 thoughts on “O Sol é Para Todos (To Kill a Mockingbird) – Harper Lee

  1. Oi, NIna.
    Acho interessante como você tem o dom de resenhar tão bem livros que leu a um certo tempo. Não sei se eu conseguiria fazer isso sem ter que reler pelo menos meio livro! hehehe
    Achei muito interessante o argumento do livro e vou colocar na minha lista de interessantes!!
    beijos
    Camis

    • Oi Camis!

      Sabe que eu acho até mais fácil? É que se eu resenho logo depois de terminar de ler, às vezes me deixo levar pelas emoções que o livro me provoca, e aí a resenha fica confusa, ou pelo menos eu sinto isso.

      Tenta ler o livro sim, é lindo!

      Um beijo!

  2. Pingback: Retrospectiva Literária de 2014 - O Mundo da Marina

Tem algo a acrescentar?