O Som e a Fúria (The Sound and the Fury) – Wiliam Faulkner

Oi! Meio de uma semana que parece não chegar ao fim, mas eu estou tranquila. Ando pondo minhas raízes italianas pra trabalhar, aproveitando meu dolce far niente, e isso me deixa bem calma – não meu estado normal, eu diria. Como sou uma criatura de humores inconstantes, o livro de hoje me ganhou no título anos atrás, mas eu só pude lê-lo no início deste ano, último semestre da minha segunda graduação. Sinto nostalgia chegando, e é dia de “O Som e a Fúria”.

thesoundandthefury

“O ambiente da escritura de Faulkner é o sul dos Estados Unidos, escravocrata e derrotado na Guerra da Secessão. O som e a fúria narra a agonia de uma família da velha aristocracia sulista, os Compson, entre os dias 2 de julho de 1910 e 8 de abril de 1928. Um apêndice, acrescentado pelo escritor em 1946, fornece outras informações sobre a história dos Compson entre 1699 e 1945. Assim, é possível afirmar que o grande personagem desta obra-prima é o Tempo, o que lhe confere interesse universal.”

Poucas vezes na história do blog eu tive tanta dificuldade pra colocar em palavras uma explicação sobre uma obra. “O Som e a Fúria” é um livro complexo em todos os sentidos: apesar de narrar apenas alguns dias, com quatro pontos de vista distintos e digressões de pensamentos, coisa comum na literatura de hoje, Faulkner foi um dos primeiros a fazer essa mistura, e, apesar de os elementos serem comuns atualmente, o modo como as coisas são apresentadas continua a ser completamente diferente. Primeiro porque não dá pra fazer um resumo mais claro da história sem estragá-la inteira – há que se beber da fonte original, e não procurar informações que possam estragar o prazer da leitura em si. Personagens e história se misturam para formar uma narrativa diferente e cheia de segredos, dor e beleza – do tipo submundo, que eu já confessei várias vezes amar.

O que eu posso dizer sobre a obra: levanta muito mais questões do que eu esperava encontrar, apresenta personagens complexas e cheias de dores particulares, e me fez pensar, de novo, que Faulkner é um autor realmente impressionante – eu só o conhecia de textos menores, da época da faculdade. Não é um livro pra qualquer um, mas pra quem gosta é imperdível. Recomendo.

Espero que tenham gostado! Bom resto de semana para todos nós e até a próxima!


2 thoughts on “O Som e a Fúria (The Sound and the Fury) – Wiliam Faulkner

Tem algo a acrescentar?