Os Sofrimentos do Jovem Werther (Die Leiden des jungen Werthers) – Johann Wolfgang von Goethe

Oi! Nessa reta final do ano, resolvi falar de um livro controverso. Apesar de ter dado fama ao seu autor, virou uma febre doentia nos países em que foi publicado, e foi parodiado e ridicularizado por muitos. Já no fim de sua vida, Goethe rejeitou o livro e o movimento romântico ao qual ele pertencia. Ainda assim é um livro fantástico, um dos melhores que já li. Hoje é dia de “Os Sofrimentos do Jovem Werther”.

jovem

“Werther” conta a história do rapaz homônimo, que, ficando hospedado no campo, na cidade de Wahlheim (fictícia), acaba por conhecer uma moça chamada Lotte. Tendo perdido a mãe há pouco tempo, Lotte está cuidando de seus irmãos mais novos, e é noiva de um homem 10 anos mais velho que ela, Albert. Mesmo sabendo que é impossível ter seu amor retribuído, Werther se apaixona por ela e sofre, pois tem a amizade da amada e do noivo dela. À medida que seu amor aumenta, no entanto, ele começa a tomar medidas que o ajudem a esquecer, mas que o levam à própria destruição.

Bom, acho que é conhecimento comum que Werther inspirou muitos jovens ao suicídio e que o livro é muito famoso. Diz-se que Napoleão o carregava consigo em sua campanha pelo Egito, e que se inspirou no livro para escrever seu próprio solilóquio, semelhante e descaradamente inspirado na obra de Goethe. O livro é um dos mais conhecidos da literatura alemã, e a história é muito bem narrada.

Esse é o tipo de livro em que a análise da história vem junto com a análise das personagens, pois as duas partes estão interligadas de uma forma que não dá pra separar: a história é um romance epistolar, e é fácil sentir na pele o quanto o protagonista sofre. Aliás, por ser epistolar, não dá pra evitar a sensação, especialmente para quem não é muito fã do movimento romântico, de que Werther é incrivelmente dramático, chegando a ser mais exagerado do que dá pra aguentar, então ele não foi minha personagem preferida. Honestamente acho que ele é um covarde, que não sabe enfrentar os próprios problemas e fica procurando motivos para chamar a atenção sobre si mesmo. Como personagem, gostei de Lotte, que tem seus problemas, que sofre por amor, mas que sabe o que deve fazer e que faz, sem ficar pavoneando sua dor por aí, e infringindo dor naqueles que a amam.

Gosto de obras românticas, e adorei toda a narração e escrita dessa, mas o protagonista, com sua infantilidade e sua demonstração de total indiferença por aqueles que o amam me deixou revoltada, e não consegui gostar dele. Não deixo de recomendar o livro por isso, mas já aviso que, se você é como eu, vai sofrer com tal demonstração de egoísmo.

Espero que tenham gostado! Boa semana para todos nós e até a próxima!


Tem algo a acrescentar?