Paris: Dicas

Oi! Chegamos ao (inicialmente) último post sobre Paris. Hoje vou dar umas dicas gerais sobre a cidade, os franceses e algumas coisas que eu observei por lá. Se vocês ainda tiverem alguma dúvida ou quiserem um post com mais alguma informação específica, avisem e eu monto, ok? Ah! Este não vai ser um post cheio de fotos mas ficou grande, então clique em “continue reading” para ler todas as dicas!

11025953_838678009530578_6984703573981359290_n

Avenue de l’Opéra vista do Palais Garnier (Opéra de Paris). Foto minha.

Transporte:

O transporte público em Paris é maravilhoso! A cidade não é enorme, mas para fazer tudo a pé pode ser cansativo, então ônibus e metrô ajudam muito, e usar esses transportes é bem simples, mesmo que você não fale francês. Existe um mapa que você pega em qualquer estação de metrô e que contém todas as linhas de trem, ônibus e metrô da cidade, então você pode levá-lo na bolsa/bolso pra consultar. Caso não queira ser tão obviamente turista, existem mapas grandes nas próprias estações de metrô, grudados nas paredes, então dá pra consultar.

Mapa na entrada de uma estação de metrô.

Mapa na entrada de uma estação de metrô.

 As estações têm nome, tanto as de ônibus quanto as de metrô, e nas estações de ônibus existem papéis de cada linha que passa ali pregados, mostrando não só o itinerário que o ônibus segue mas também o sentido em que ele está indo! Isso sem contar que existem painéis eletrônicos nas estações, mostrando quanto tempo vai demorar para o seu trem/ônibus chegar. Considerando-se que o transporte público de Brasília é a piada que é, essa é uma das coisas que eu mais sinto falta em Paris…

Sobre os franceses

Acredito que os franceses tenham uma fama muito injusta: as pessoas os chamam de rudes, mas a verdade é que eles não são! Imagine você morar em uma cidade turística, visitada por milhares de pessoas o ano todo e ter que ser abordado na rua como se fosse um serviço de informação ambulante – e em uma língua que não é a sua? Eu vi MUITA gente simplesmente parando pessoas na rua e disparando a falar em inglês, e achei o cúmulo da falta de educação!

Vale pra França, vale pra qualquer lugar: aprenda pelo menos umas frasezinhas básicas pra poder pedir informações, e um “Excuse moi, monsieur/maidemoiselle! Je ne parle pas français, parlez vous anglais?” (Com licença, senhor/senhorita! Eu não falo francês, você fala inglês?) antes de disparar em perguntas não só não mata como conquista a simpatia: ninguém foi grosseiro comigo a viagem inteira, porque eu sempre sorria e dizia essa frase antes de sair falando com as pessoas!

Vale lembrar, também, que o Brasil é o Brasil, e a França é a França: países diferentes, costumes diferentes! Aqui, por exemplo, é uma super falta de educação ficar assoando o nariz em público ou numa sala de aula, por exemplo, mas na França (e na Itália também foi assim), não é feio fazer isso. Lição do dia? Pesquisar antes de fazer as coisas, e não dizer que eles são “frescos” ou “grosseiros” (sim, também vi gente fazendo isso). Cada país é um país, e temos de respeitar o lugar e as pessoas que estamos visitando!

Serviço de Mesa

Comer é uma coisa importante em Paris: comida é cultura, e na Cidade Luz ela é fantástica, mas existem pequenas regras que, se seguidas, ajudam muito! Primeiro, eu recomendo que, ao entrar no restaurante, mesmo que não esteja lotado, você pergunte ao garçom se é possível sentar o número de pessoas que está com você: não dá pra saber, da porta, se os lugares estão todos reservados e se é possível sentar ali.

Uma coisa que ajuda é saber como funciona o serviço: em Paris, você olha seu cardápio, escolhe tudo que vai comer (da entrada à sobremesa) e pede tudo de uma vez, quando o garçom vem à mesa. Não se chama o garçom a cada 5 minutos pra pedir mais coisas, a não ser que você realmente precise, e não é normal que a pessoa te servindo fique “por conta” ou “em volta” da mesa, como é no Brasil. Em restaurantes mais informais essas regras se relaxam um pouco, mas o princípio, no geral, se mantém, porque faz-se carreira em serviços como os de garçom, e as pessoas estudam para servirem bem; sejamos todos mais tolerantes com as diferenças e as coisas vão sair bem melhor, combinado?

Comida nos museus

Já que estamos falando de comida, que tal essa dica: evite comer nos museus. O motivo é bem simples: no geral é caro, com porções minúsculas e comida de qualidade questionável, então se puder evitar, melhor (mas nem sempre dá, eu mesma tive que comer nos museus várias vezes!).

Coma em intervalos regulares

Papo de nutricionista? Não: de turista que, sempre deslumbrada, esquece de comer. Já passei mal mais vezes do que gostaria de admitir, então sugiro que sejam mais espertos do que eu e evitem os intervalos enormes entre cada refeição!

Evite as “armadilhas de turista”

Restaurante com menu em inglês? “Fórmulas” completas, que incluem vários pratos? Preços muito abaixo do esperado? Se você está procurando por lugares genuinamente bons para comer, fuja daqueles que se encaixam nas categorias acima, porque costumam ter comida ruim – e nem sempre ela é muito barata! Pesquisar antes da viagem costuma evitar ser pego nessas armadilhas, e talvez meu post sobre comidas possa ajudar!

E acho que é isso! A dica mais geral de todas é: pesquise, muito e sempre! Um viajante que pesquisa é um viajante precavido, que economiza dinheiro e aproveita mais seus passeios, além de conhecer a cidade melhor e só levar lembranças boas (ou menos lembranças traumáticas/problemáticas!)! No próximo post de viagem vou contar o que vi em Hamburgo e aí podemos falar sobre meu curso na Itália, se vocês quiserem!

Espero que tenham gostado! Bom fim de semana para todos e até a próxima!


2 thoughts on “Paris: Dicas

Tem algo a acrescentar?