Pegando Fogo! (Pants on Fire) – Meg Cabot

Oi! É quarta com cara de sexta e ainda bem, porque estou exausta! Mal posso esperar pelo feriado pra finalmente descansar um pouco e ler bastante! Enquanto ele não chega, hoje é dia de “Pegando Fogo!”, da musa Meg.

pegandofogo

“Katie Ellison é uma mentirosa de mão-cheia e ainda por cima guarda um grande segredo sobre seu antigo melhor amigo, Tommy, que, quatro anos antes, criou um sério tumulto e acabou saindo da cidade. Agora, ele está de volta, e Katie vai ter que decidir se prefere continuar com as mentiras para manter as aparências, ou se finalmente vai abrir a boca e aceitar que as coisas nunca mais serão como antes.”

Os livros da Meg, pra mim, são como os da Nora: pra ler em dias que eu preciso me animar, já que sei que tudo acaba bem e que as coisas vão se resolver. Às vezes a gente precisa desse tipo de incentivo, e os livros me ajudam muito, e foi nesse espírito que eu comecei a ler este daqui. Tenho que admitir, no entanto, que não foi tão bom quanto os outros, e que no fim das contas não entrou no ranking dos preferidos.

A narração segue a linha de todos os livros da Meg: é leve, fácil de entender e muito divertida. Não é aí que está o problema. O combo personagens e história em si é que me incomodou, já que Katie, a protagonista, é basicamente uma mentirosa compulsiva aos 16 anos! Sem contar que ela, tendo um namorado firme há anos o trai pelas costas constantemente, porque simplesmente não consegue parar de pensar em outros meninos. Não me entendam mal: não acho que ninguém seja obrigado a continuar em relacionamento nenhum, nem acho que seja um problema se apaixonar por outra pessoa (que nem é o que acontece com ela, na verdade), mas tenho pavor de mentiras e desonestidade, e quanto mais eu a via mentindo, mais agoniada eu ficava, e talvez por isso não tenha simpatizado tanto com o livro.

É claro que em se tratando de uma história infanto-juvenil, e escrita pela Meg, ainda por cima, o livro mostra o momento em que Katie se arrepende, conserta as coisas e começa a viver como uma adolescente mais normal, mas aí eu já estava chateada com como a coisa toda se desenrolou e continuei achando o livro bem mais ou menos (e mais pra menos, vejam só!). No fim das contas eu não recomendo esse livro não, já que a Meg escreveu coisas bem melhores (resenhadas aqui no blog, inclusive!).

Espero que tenham gostado! Bom resto de semana e bom feriado pra todos nós e até a próxima!


Tem algo a acrescentar?