Persuasão (Persuasion) – Jane Austen

Oi! Agora acabamos os posts sobre viagens, pelo menos por um tempinho! Espero que vocês tenham gostado – e que gostem de voltar a ver só livros também! Hoje eu vou falar de “Persuasão”, porque já tem tempo que a minha musa não aparece por aqui e eu queria matar as saudades!

capa_1

“O enredo gira em torno de Anne Elliot, filha de Sir Walter Elliot, um vaidoso e esnobe baronete. No passado, Anne apaixonara-se por Frederick Wentworth, que, embora belo, inteligente e ambicioso, não tinha tradições ou conexões familiares importantes – e assim Anne fora persuadida pela família a romper com ele. Em 1815, momento em que se passam os eventos narrados no livro, a boa, generosa e sensível Anne Elliot continua solteira, mas agora, aos 27 anos, pensa com mais autonomia e maturidade. Agora, também, a situação financeira de Sir Walter Elliot é desfavorável, e ele se vê obrigado a alugar a propriedade da família. Por força do destino, o novo ocupante da residência é cunhado de Wentworth. Quase oito anos após o rompimento, Anne se verá novamente convivendo com seu grande amor, agora um capitão da Marinha, e reflexões, conjunturas e arrependimentos serão inevitáveis.”

Eu li este livro no embalo de todos os outros da Jane, que eu li mais ou menos na mesma época, e gostei muito dele. Talvez seja o terceiro no meu ranking pessoal, porque ainda que a história seja, para muitos, um romance romântico clássico, pra mim é mais que isso, já que contém aquela ironia já característica da autora que eu tanto adoro!

As personagens são muitas, e eu gostei muito de Anne e de Frederick não só como casal mas também como indivíduos: são personagens que se sustentam sozinhas, e eu achei que Anne é uma moça bastante razoável, que pensa bem parecido comigo (a minha versão atual ainda mais que a pessoa que eu era quando li o livro). Gosto de me identificar em uma personagem, de encontrar semelhanças, e achei de Anne é sensível mas constantemente confundida pelos outros como sendo bem forte, o que anda sendo bem moda em narrativas atuais – com a diferença que não é uma coisa forçada, já que a Jane sabe como construir bem suas personagens.

A narrativa, aliás, segue a linha dos outros livros dela: é clara, cheia de ironias refinadas que não são facilmente identificadas por quem só quer ver o romance. É um livro fácil de ler e fácil de compreender superficialmente, mas talvez não seja tão simples de cavar até o fundo pra quem não se interessa muito por fazê-lo. Não é o livro mais complexo da Jane, mas ainda assim achei que valia o aviso. Recomendado, com certeza!

Espero que tenham gostado! Boa semana para todos nós e até a próxima!


2 thoughts on “Persuasão (Persuasion) – Jane Austen

  1. Oi, Nina.
    Estou precisando fazer uma maratona Jane Austen!
    Encontrei hoje na Saraiva uma edição linda da L&PM, com três livros em um só: A abadia de Northanger, Razão e sentimento e Orgulho e Preconceito. Eles tem um box com quatro livros também, que inclui o Persuasão. Já viu?!
    Beijos
    Camis

    • Oi Camis!

      Não, não vi! Estou em uma promessa de não comprar livros por um tempo, semelhante àquela que você fez ano passado, sabe? Mas me interessei pelo box, quem sabe não o adquiro quando puder?

      Beijos!

Tem algo a acrescentar?