Princesa na Balada (Party Princess) – Meg Cabot

Oi! Fui dormir às 2 e meia da manhã para ser acordada apenas três horas depois pelo meu despertador. Podia estar realmente furiosa por estar com a insônia pior que o normal, mas tinha chuva. É, choveu em Brasília, o que significa que a seca vai acabar mais cedo do que tarde – e ainda bem, porque eu já estava enlouquecendo. Acho até graça, então, que hoje seja dia de resenhar “Princesa na Balada”, já que, sono à parte, eu também ando com vontade de celebrar!

princesanabalada

Pode conter spoilers involuntários dos livros anteriores

“Mia, como presidente do conselho estudantil, quer resolver os problemas financeiros do Albert Einstein: descobriu que a compra dos cestos de lixo da escola acabou com os fundos do conselho estudantil. Agora, é impossível alugar o salão Alice Tully para a grande festa de formatura. Por outro lado, nesta primavera, ela está decidida a se divertir! Por sorte (ou por azar, dependendo do ponto de vista), Grandmère tem um plano elaborado para arrecadar fundos parta o conselho e, ao mesmo tempo, alçar Mia à fama teatral. Mas, por trás das “boas” intenções de sua avó, tem uma grande armação: promover a união romântica entre Mia e um partidão, que não é seu atual namorado. Não é sem motivo que Michael, o amor da vida de Mia, acha que a avó da menina é louca ou, pior ainda, uma inimiga declarada. Mas os agitos não param por aí. Mia precisa comparecer a uma festa que Michael dará em sua casa, aproveitando a ausência dos pais. Na balada, várias garotas mal-intencionadas da faculdade estarão presentes. O problema é que Mia não é lá de bebedeiras e ainda não está pronta para “Fazer Aquilo”… Mas, e se as outras meninas forem muito mais divertidas (e ainda por cima sexualmente experientes)? Michael continuará gostando dela? Ele seria capaz de trocá-la pelas garotas da faculdade?”

No sétimo volume da série conhecemos um pouco melhor uma personagem que se mostra bem importante mais pra frente na narrativa, ainda que a essa altura não dê pra notar isso, O Cara Que Detesta Que Coloquem Milho no Feijão, ou John Paul Reynolds-Albernathy IV – o J.P.. Eu devia ter desconfiado, quando ele apareceu, que não ia gostar de uma personagem tão pomposa e com um nome tão fresco, mas não o fiz. De qualquer modo, ele não mostra seu potencial pra ser irritante nesse livro. O troféu fica pra dupla Mia e Lilly, que estão em conflito com a situação financeira do conselho estudantil – além de não estarem exatamente demonstrando compreensão com os problemas dos outros (mas, em defesa da Mia, pelo menos ela não sabia, o que não pode ser dito da Lilly, já que ela mora com os problemas, por assim dizer).

Esse não foi o melhor livro da série, mas ainda assim é bom e divertido, como costumam ser os livros da Meg, então eu recomendo bastante – até porque, se você está acompanhando a série é importante seguir a continuidade, o que significa que precisa ler este aqui pra entender boa parte do que vem nos próximos livros.

E é isso aí! Espero que tenham gostado, boa semana para todos nós e até a próxima!

Série “O Diário da Princesa”:

01- O Diário da Princesa

02- Princesa sob os Refletores

03- Princesa Apaixonada

04- Princesa à Espera

04 e 1/4- Valentine Princess

04 e 1/2- Princess Project

05- Princesa de Rosa Shocking

06- Princesa Em Treinamento

06 e 1/2- O Presente da Princesa

07- Princesa na Balada

07 e 1/2- Sweet Sixteen Princess

08- Princesa no limite

09- Princesa Mia

10- Princesa Para Sempre

11- Royal Wedding (Ainda não traduzido para o português)

– Lições de Princesa


2 thoughts on “Princesa na Balada (Party Princess) – Meg Cabot

  1. Oi, Nina.
    Não sei o que está acontecendo, mas estou sofrendo com uma insônia maldita nos últimos tempos! O resultado é que tenho muito tempo para ler… KKKK
    Ler as suas resenhas sobre essa série são uma delícia porque vou me lembrando dos detalhes dessa leitura que eu tanto adorei!!
    Beijos
    Camis

    • Oi Camis!

      Pois é, eu tenho insônia desde bebê, então sei como é complicado… mas é bom pra ler, mesmo! hahaha!

      Eu sinto falta dessa série, até dou uma relida antes de resenhar, pra matar as saudades! 😉

      Beijos!

Tem algo a acrescentar?