Sara Sem Silicone (Mine Are Spetacular!) – Janice Kaplan e Lynn Schnurnberger

Oi! Mais uma sexta em que eu nem saberei o que é descanso, mas estou feliz. Não sei vocês, mas eu detesto me sentir parada e inútil, então ter muito pra fazer me faz bem, ainda que me deixe muito cansada. Para dar uma descontraída nesse fim de semana cheio de coisas, escolhi um livro descontraído, que li diretamente sequestrado da estante da minha irmã. Venham conhecer a Sara, em “Sara Sem Silicone”.

sara-sem-silicone-janice-kaplan-e-lynn-schnurberger-4187-MLB4896721090_082013-F

“O primeiro marido de Sara fugiu para a Patagônia há oito anos, deixando-a com um bebê. Quem se importa? Ela acaba de se mudar com o filho para a casa do noivo, Bradford, por quem está perdidamente apaixonada. O mundo de Sara parece perfeito, até que a ex-mulher de Bradford resolve aparecer trazendo a tiracolo a filha adolescente, que está louca para reunir os pais, sua melhor amiga está em um relacionamento complicado – e não parece saber disso -, sua vizinha e amiga, Berni Davis, está lidando com uma gravidez de gêmeos (depois de ter largado uma bem sucedida carreira como empresária, em Hollywood, para construir uma família), e seu ex-marido resolve retornar, declarando um amor sem fim que só faz Sara ficar mais confusa. Como lidar com tantos problemas e a pressão da idade, que vem chegando e trazendo questionamentos – sobre colocar silicone, por exemplo?”

Eu sinceramente não me lembro de como esse livro foi parar na estante da minha irmã, mas lembro que depois que ela terminou de ler e disse que tinha gostado, eu peguei pra conhecer também. Dei boas risadas e achei que o livro é um bom representante de seu gênero literário – dentro dos chick-lits que eu já li, inclusive, este é um dos melhores.

A história é divertida e fácil de acompanhar. Apesar de a protagonista ser Sara, suas amigas – Berni, a nova mamãe, e Kate Steele, a melhor amiga que é dermatologista de celebridades – também têm papéis de destaque na narrativa, e seus conflitos também são um pouco mostrados. Como a história se passa no condomínio onde Sara mora, um lugar finíssimo chamado Hadley Farms, onde as mulheres são lindas e educadas, mas tremendamente fúteis, as tensões são engraçadas. Sara tem que conviver harmoniosamente com todas, mas não se parece em nada – ou quase nada – com a maioria delas, e alguns diálogos do livro são muito divertidos por mostrar exatamente essas diferenças.

As personagens são muito boas, e minha preferida foi mesmo Sara. Sendo uma mulher real, que trabalhou e criou seu filho com todo o amor do mundo, ela tem, de repente, que lidar com pessoas e ambientes bem diferentes do que está acostumada, mas se sai muito bem na tarefa. Gostei de como ela lidou com os problemas que apareceram no livro, já que o que mais tem por aí são chick-lits cujas protagonistas são incrivelmente imaturas – e isso me dá nos nervos. Além de Sara, adorei Berni! Divertida e inteligente, ela não perdeu seu lado mulher-de-negócios quando resolveu ser mãe em tempo integral – e quando isso fica visível, as risadas são certas!

Como eu disse lá em cima, esse é um dos melhores chick-lits que eu já li! É inteligente e divertido, além de ter protagonistas maduras que lidam bem com seus problemas – claro que há insegurança e atitudes que pensamos que não combinam com “adultos”, mas a verdade é que sempre estamos crescendo, e é normal ter algumas crises de identidade de vez em quando. Recomendo bastante o livro como um exemplo de bom chick-lit!

Espero que tenham gostado! Bom fim de semana para todos e até a próxima!


Tem algo a acrescentar?