O Fantástico Mistério de Feiurinha – Pedro Bandeira

Posted on

Oi! Minha última semana de férias começou linda: chuvosa, úmida e cinza, do jeito que eu amo! Achei que o clima estava propício pra histórias mais tradicionais – especialmente histórias de princesas – e me dei conta de que nunca tinha falado da Feiurinha por aqui! Pois bem, é dia de remediar isso! Vem ver o que eu achei de “O Fantástico Mistério de Feiurinha”.

feiurinha

“Você se lembra, não é? Quase todas as histórias antigas que você leu terminavam dizendo que a heroína se casava com o príncipe encantado e pronto. Iam viver felizes para sempre e estava acabado. Mas o que significa “viver feliz para sempre”? Significa casar, ter filhos, engordar e reunir a família no domingo para comer macarronada? Quer dizer que a felicidade é não viver mais nenhuma aventura? como é que alguém pode viver feliz sem aventuras? Ah, não pode ser! Não é possível que heróis e heroínas tão sensacionais tenham passado o resto da vida assistindo ao tempo passar feito novela de televisão. É preciso saber o que acontece depois do fim.”

Eu li este livro quando era pré-adolescente. Aquela fase engraçada da vida em que você não parece se encaixar muito bem em grupo nenhum, mas em que começa a formar uma noção mais individual de identidade – que logo corre o risco de ser meio sufocada pelos grupos de amigos da adolescência – e em que os primeiros questionamentos mais sérios e que vão te acompanhar pra sempre começam a aparecer. Pois bem, foi no meio dessa confusão mental e emocional que eu conheci a história de Feiurinha. Fui dormir na casa de uma prima que ia apresentar a história numa peça da escola, e ela me contou a história antes de dormir. Ainda demorei alguns anos depois disso pra conseguir pôr as mãos no livro, mas consegui fazê-lo e não me decepcionei com o que encontrei.

A história narrada pelo Pedro Bandeira pode até parecer bobinha e simples pra quem só lê a sinopse, mas pra quem realmente conhece o livro logo percebe que de boba ela nada tem! De um jeito bem didático sem ser chato alguns conceitos como padrões de beleza, a oralidade na transmissão da cultura, a importância de contar histórias e a importância de se registrar essas mesmas histórias são tratados, e eu me lembro de ter sentido aquele calorzinho no coração ao ler algo tão doce e interessante ao mesmo tempo!

As personagens se combinam bem com a narrativa, porque o autor explorou uma versão das princesas que não conhecemos – ou não conhecíamos à época, porque hoje em dia já temos várias adaptações que mostram como ficaram as vidas delas após o casamento ou mesmo em outras situações. Foi bem hilário vê-las discutindo sobre qual história seria a melhor e se juntando para resolver o mistério da princesa desaparecida. O livro como um todo é muito divertido e eu acho que é uma leitura essencial para crianças! Recomendo muito mesmo!

Espero que tenham gostado! Boa semana para todos nós e até a próxima!


A Droga da Amizade – Pedro Bandeira

Posted on

Oi! É a penúltima semana do ano, dá pra acreditar? Passou voando e eu me pego impressionada com 2015! Como estou em ritmo de fechar ciclos, resolvi encerrar uma série que já estava encerrada (já explico) antes de começar os ritos de fim de ano do blog. É dia de “A Droga da Amizade”, o sexto volume da série “Os Karas” que foi publicado este ano!

adrogadaamizade

Pode conter spoilers involuntários dos livros anteriores

“Como Miguel começou a Turma dos Karas? Como conheceu e por que escolheu Magrí, Crânio, Calu, Chumbinho e a americana Peggy para formar esta turma tão especial? E por que Andrade era um policial diferente, melhor do que qualquer outro? Como cada um deles demonstrou ao líder dos Karas que era uma pessoa especial, tanto pela coragem, quanto pela honestidade, pelo caráter e pelo desejo de mudar o mundo para melhor? E o que terá acontecido com eles depois de todas as aventuras que estes sete heróis viveram? Em que se terão transformado todos eles depois de adultos?”

Eu já tinha finalizado as resenhas desta série há meses, e eis que Pedro Bandeira lança mais um livro, muitos anos depois da publicação das aventuras finais dOs Karas. A Mari, minha amiga que mora em Santos, foi ao lançamento, pegou autógrafo e bancou a repórter honorária do blog. E aí era só uma questão de tempo até que eu mesma começasse a ler o livro.

Este livro não conta uma nova aventura dos Karas. Ele é narrado, como os anteriores, em terceira pessoa, e está acompanhando Miguel, que se prepara para um momento decisivo de sua vida, lembrando, enquanto isso, de como os Karas foram formados. Levando-se em consideração que não temos nenhuma aventura grande sendo narrada, é importante dizer que alguns momentos de pequenas confusões antigas – e que não conhecemos nos livros anteriores – são narrados aqui. As personagens são as mesmas e o livro é exatamente o que promete ser: um reencontro com amigos queridos que deixamos na infância. Delicioso de ler e muito divertido, eu recomendo bastante!

Espero que tenham gostado! Boa semana para todos nós e até a próxima!

Série Os Karas:

1- A droga da obediência

2- Pântano de sangue

3- Anjo da morte

4- A droga do amor

5- Droga de americana!

6- A Droga da Amizade


A Marca de Uma Lágrima – Pedro Bandeira

Posted on

Oi! Meu humor ainda não melhorou. Tá, um pouquinho, mas ainda tá instável e eu estou decepcionada com as pessoas, de modo geral. Ficar mal humorada me deixa assim, meio de mal com o mundo, mas pelo menos estou melhor que na quarta feira, então resolvi trazer a história que mencionei na última resenha, meio-que-inspirada na história de Cyrano. É dia de “A Marca de Uma Lágrima”.

a-marca-de-uma-lagrima-pedro-bandeira-13702-MLB2693312042_052012-F

“Isabel é uma moça tímida e inteligente, que se acha feia, especialmente ao lado da melhor amiga, Rosana. Como se sua vida já não fosse difícil o suficiente, Isabel se apaixona pelo primo, Cristiano, que se apaixonada por Rosana. Servindo de ponte, Isabel escreve lindas cartas em nome do primo para dar para a amiga – e em nome da amiga para dar para o primo. Sofrendo de amor, a vida de Isabel se complica mais, já que a diretora de sua escola morre e a menina foi testemunha de uma cena muito suspeita e se sente ameaçada. A ideia da morte começa a tomar conta de seu cérebro, enquanto seu coração se despedaça pelo amor de Cristiano.”

Já na sinopse dá pra notar semelhanças entre as duas histórias, né? Isabel aqui é o próprio Cyrano e Rosana e Cristiano representam Roxanne e Cristiano. Só que tem uma terceira personagem nessa história: Fernando, amigo de Cristiano e que se interessa por Isabel de cara – ainda que ela nem olhe pra ele.

É uma história juvenil, logicamente, mas tem uns elementos que, à época da primeira leitura (eu reli esse livro tantas vezes que ainda sei uns pedacinhos de cor!), me deixaram meio assustada, talvez por ver semelhanças doloridas com como eu me sentia – aposto que muita menina leitora que era chamada de nomes na escola também se identificou/identificaria com esse livro! Isabel conversa com seu maior inimigo, o espelho, e sua imagem é cruel, dizendo umas coisas tristes e horríveis para a menina, que já não se acha boa em nada. Ela é inteligente e doce, mas só consegue ver coisas ruins em si mesma. É um pouco triste que a história ainda reflita que, para encontrarmos valor em nós mesmos, procuramos ver isso nos outros. Quem me conhece pessoalmente tá me chamando de hipócrita nesse exato momento, já que eu sou bem assim, mas tudo bem, né, ainda vale a reflexão…

As personagens são muito boas! Adoro Isabel e acho que nem preciso explicar os motivos, né? Acho Cristiano um mané, mas a pessoa mais revoltante nessa história, pra mim, é Rosana: que tipo de amiga não percebe os sentimentos da outra e a usa dessa forma? Ainda que ela não soubesse da paixão de Isabel, é muita falta de vergonha pedir que ela sirva de mensageira de um sentimento que acaba por não ser nada real. Gostei de Fernando de cara, já que ele não tem vergonha de dizer o que sente e nem faz joguinhos – e em plena adolescência, ou seja, traço raro de maturidade, tanto para personagens quanto para seres reais.

No geral a história é muito boa. Não precisava dizer que o Pedro Bandeira é ótimo, mas vou dizer assim mesmo, porque pra quem nunca leu nada dele, está passando da hora! Recomendo esse livro, especialmente pra quem, como eu, fica sempre procurando seu próprio valor através dos outros: os livros ajudam mais que as pessoas, nesse caso!

Espero que tenham gostado! Bom fim de semana para todos nós e até a próxima!


Droga de Americana! – Pedro Bandeira

Posted on

Oi! Provando que eu não sigo nem minhas próprias orientações quando se trata das resenhas deste blog, a resenha de hoje, com duas semanas de antecedência, é do livro “Droga de Americana!”, do Pedro Bandeira, pra fechar a série “Os Karas.”

Peggy, amiga de Magri e filha do Presidente dos Estados Unidos, vem ao Brasil com o pai para uma competição de Ginástica Olímpica, mas uma grande confusão acontece e ela é sequestrada por um grupo que exige muito do presidente para liberar sua filha. Com poucas horas para agir e salvar a menina, a polícia tem seus planos de ação, mas Os Karas tem um motivo ainda maior para que o resgate aconteça: sacrificando-se pela amiga, Magri se fez passar por ela, e foi sequestrada em seu lugar! Agora Os Karas precisam salvar a amiga em menos de 6 horas, antes que algo terrível aconteça, mas a revelação de quem a sequestrou e porquê causa surpresa não só aos cinco amigos, mas também ao presidente, a Peggy e, se tornado público, aos estado-unidenses em geral!

Bom, esse livro tem mais ação que os anteriores – se é que isso é possível, a série é bem eletrizante! – e traz algumas revelações interessantes. Finalmente vamos descobrir qual dos Karas tem o coração de Magri – informação, até aqui, conhecida apenas por ela e por Chumbinho. A história é muito boa, e já melhor que as anteriores. Ficou em segundo lugar no meu ranking da série, atrás apenas de “A Droga do Amor”. Como é o final da série, dá aquela sensação esquisita de dizer tchau para personagens que se tornaram tão queridas com o passar do tempo.

Esse livro eu li muitos anos depois de ter lido os outros quatro, já que não é tão conhecido pela maioria das pessoas e, na época, não era tão fácil de encontrar! Quando o encontrei em uma das bibliotecas que frequentava, no entanto, tratei de devorá-lo, para saber como é que tudo terminaria. Pra ser franca não gostei muito do desfecho romântico das personagens, mas não dá pra ser feliz em tudo, não é? A série no geral é ótima, e, como eu já disse nas resenhas anteriores, eu recomendo! Crianças e pré-adolescentes, principalmente, vão adorar os livros, e é uma ótima forma de conhecer melhor a literatura nacional!

Espero que tenham gostado! Bom fim de semana, e até a próxima!

Série Os Karas:

1- A droga da obediência

2- Pântano de sangue

3- Anjo da morte

4- A droga do amor

5- Droga de americana!


Pântano de Sangue – Pedro Bandeira

Posted on

Oi gente! E aí, tudo certo? Curtiram o carnaval? Eu não sou muito fã do feriado, e de qualquer modo aproveitei pra descansar da cirurgia, então hoje já estou ótima, tirei os pontos e tudo! Pra comemorar vamos dar continuidade a série “Os Karas”, do Pedro Bandeira com o segundo livro, “Pântano de Sangue”, que eu amoooo e espero que vocês gostem/estejam gostando também! E pra quem está pensando ‘onde foi parar o post do Desafio Literário de Fevereiro’… mil perdões! Tô atrasada e sei disso, mas vou corrigir! É que eu esqueci que fevereiro tem menos dias que os outros meses, e me perdi na programação, mas isso terá correção! E aí, vamos começar?

Dessa vez o que tira o sono dos cinco Karas é a morte de um querido professor do colégio Elite: o professor Elias. Todos estão inconformados e tristes, e Crânio não acredita que tenha sido apenas um roubo como foi dito pelos policiais que investigam o caso. É aí então que ele resolve ir para o pantanal do Mato Grosso, para onde o professor havia viajado há algum tempo. Quando chega lá, é recebido pela simpática Tia Matilde, que o ajuda a refazer os passos do professor de modo a encontrar pistas sobre o assassinato, só que… Crânio desaparece no Pantanal, e os outros Karas – que não tinham acreditado nas desconfianças do amigo – vão atrás dele para descobrir o que aconteceu. Roubo, morte, contrabando… muitos elementos colaboram para dar um ar mais ‘sinistro’ para essa aventura!

Eu adoro esse livro, e acho interessante que no início Miguel, Calú, Magrí e Chumbinho não acreditem em Crânio, acho que dá um elemento interessante para a narrativa! Fico também impressionada com a inteligência que os meninos demonstram, e como os conhecimentos deles fazem a diferença! Quando eu era mais nova e li o livro, pensava sempre ‘a escola deles ensina coisas mais legais do que as que minha ensina’! rss! Os sentimentos amorosos também estão fortes nesse livro, como ficam sempre até que o afeto de Magrí seja revelado lá no último livro da série. Chumbinho, claro, além de engraçado é corajosíssimo, e um fofinho! Adoro! rss!

Recomendo muuuito o livro, viu? E adivinhem o que eu devorei enquanto estava de molho? Vampire Academy, que eu só tinha lido o primeiro livro, e agora terminei. Se vocês quiserem que seja resenhado no blog, só pedir, ok? Beijinhos pessoinhas, e até a próxima!

Série Os Karas:

1- A droga da obediência

2- Pântano de sangue

3- Anjo da morte

4- A droga do amor

5- Droga de americana!