Sob a Acácia do Ocidente (Sous l’Acacia d’Occident) – Christian Jacq

Posted on

Oi! Desculpem pela demora pra liberar a resenha! Com a volta das minhas aulas eu acabei por não ter tempo logo cedo, mas aqui estou! É dia de série, então vamos encerrar a saga de Ramsés II com “Sob a Acácia do Ocidente”.

811970

Pode conter spoilers involuntários de livros anteriores

“Neste quinto e último volume Ramsés, aos cinquenta anos de idade, tendo conduzido o Egito a uma deslumbrante prosperidade, aspira à serenidade da idade avançada. Porém, mais uma vez terá de ceder ao capricho hitita: ao perder Nefertari e Iset a Bela, será obrigado a desposar a princesa hitita para conservar a tão sonhada paz. Serão ainda muitos os inimigos que o ameaçarão, e Ramsés terá que realizar milagres para modificar o clima e atrair as potências divinas. Mas o tempo – o maior adversário dos homens – será implacável: um a um, levará seus amigos de sempre. Sentindo-se cada vez mais velho e solitário, Ramsés irá sentar-se à sombra da acácia do Ocidente para a sua última viagem.”

Quando eu comecei a ler a série, anos atrás, a biblioteca da minha escola não tinha o último volume, então me despedi da história do meu faraó preferido quando ele ainda estava em seu auge. Quando finalmente comprei a série pra mim, já adulta, reli cada um dos volumes e chorei de tristeza com o último, que finalmente eu estava conhecendo. A série cobre a vida de Ramsés toda, então neste último volume vemos o final da jornada, inclusive sua morte, que, pra quem se afeiçoa a ele é de partir o coração!

A narrativa segue a linha dos livros anteriores, então é clara e fácil de entender. Tudo que faltava ser amarrado é amarrado aqui, e meus motivos para gostar de Acha ficam mais claros aqui – ainda que o destino dele tenha sido triste demais para o meu gosto!

Falando em Acha, as personagens dessa série são tão boas que até hoje tenho lembranças vivas de momentos que elas protagonizaram! Os fatos históricos e as personagens famosas que se misturaram à história do faraó também fizeram deste quinto livro uma experiência surreal! Não é o melhor da série, mas é bonito e fechou bem o ciclo! “Ramsés” é uma série linda, que marcou muito a minha história pessoal, e que eu recomendo muito!

Espero que tenham gostado! Boa semana para todos nós e até a próxima!

Série “Ramsés”:

1- O Filho da Luz

2- O Templo de Milhões de Anos

3- A Batalha de Kadesh

4- A Dama de Abu-Simbel

5- Sob a Acácia do Ocidente


A dama de Abu-Simbel (La dame d’Abou Simbel) – Christian Jacq

Posted on

Oi! É sexta e dia de resenha, já que na segunda tivemos um post diferente. Vamos continuar com uma das minhas séries preferidas, hoje com o penúltimo livro que a compõe. É dia de “A Dama de Abu-Simbel”, quase fechando a série Ramsés!

livro-ramses-v4-a-dama-de-abu-simbel-novo-14474-MLB142321211_9612-O

Pode conter spoilers involuntários dos livros anteriores

“Ícone do Egito Antigo que reinou durante 67 anos, e cujos feitos estão talhados em esculturas nos templos egípcios, Ramsés enfrentará duas ameaças perigosas: Moisés vai retornar ao Egito para exigir de Ramsés autorização para o êxodo hebreu, e Ofir atingirá com sua força maléfica o primogênito de Ramsés. Conseguirá a magia da esposa real Nefertari – a dama de Abu-Simbel – proteger o Filho da Luz?”

Quando eu peguei esta série pra ler na biblioteca da minha escola, lá na quinta série, eu me apaixonei e a devorei super depressa. O livro de hoje, em especial, me deixou emocionada, louca pra saber como eram os últimos anos da vida do faraó Ramsés, narrados no quinto livro, mas uma coisa aconteceu: a biblioteca não tinha o último volume! Por anos eu fiquei com os acontecimentos do quarto livro grudados na minha cabeça de tal forma que nem tem explicação as emoções que eu sentia, já que o que acontece neste livro é de partir o coração (ou foi assim pra mim).

Aqui o faraó enfrenta suas, provavelmente, piores ameaças: o retorno de um ex-amigo que ameaça seu reino e um feiticeiro ameaça sua saúde e seu espíritos, que vão ser defendidos pela esposa real, Nefertari. É um livro cheio de emoções e momentos de tensão, e, ainda que a trama envolvendo Moisés não seja historicamente acurada, pelo que eu pesquisei, é interessante no conjunto total, ainda mais se se levar em conta como o hebreu parece um “vilão” no contexto; digo que é interessante porque fui criada como católica, então foi como ver “um outro lado da história” – ainda que, como eu disse, não pareça ser historicamente correta.

As personagens continuam as mesmas, com algumas adições secundárias, mas pra mim a grande estrela foi Nefertari. Ela é, junto ao próprio faraó, minha personagem preferida, e eu gostei muito de ver a força que ela demonstrou frente aos acontecimentos da história, além de ter ficado com uma sensação agridoce sobre ela – mas não posso contar o porque pra não dar spoiler! Como todos os livros desta série, este é incrível! Mais do que recomendado, com certeza!

Espero que tenham gostado! Bom fim de semana para todos nós e até a próxima!

Série “Ramsés”:

1- O Filho da Luz

2- O Templo de Milhões de Anos

3- A Batalha de Kadesh

4- A Dama de Abu-Simbel

5- Sob a Acácia do Ocidente


A Batalha de Kadesh (La Bataille de Kadesh) – Christian Jacq

Posted on

Oi! Começamos a semana com mais um volume de uma das minhas séries preferidas, o que significa que chegamos na metade. Uma das vantagens de resenhar uma série que se leu há mais tempo é reviver um pouquinho do que ela representou à época da leitura, então estou achando bom poder reviver minha própria história através de livros! Hoje é dia de “A Batalha de Kadesh”.

ramses

Pode conter spoilers involuntários dos livros anteriores

“No terceiro volume da saga, os inimigos de Ramsés tecem uma teia de espionagem para fomentar o ódio dos hititas contra o povo egípcio. Para salvar o Egito, Ramsés terá de enfrentar o implacável exército inimigo, cujo poderio bélico é superior ao seu. A grande guerra parece inevitável. E será diante da fortaleza de Kadesh que se dará o choque frontal. Como pode Ramsés se preparar para o combate, se a saúde de Nefertari, a esposa real, definha vertiginosamente? Vítima de uma magia, Ramsés terá que ir ao Sul em busca de uma pedra da deusa, único remédio que poderá salvar a vida da rainha do Egito. Ao mesmo tempo terá que partir para o Norte e enfrentar uma batalha sangrenta para impedir a barbárie de destruir a civilização. Em desespero, Ramsés apelará para uma ajuda divina. Mas seu pai celeste responderá a seu apelo?”

Todos os livros da série tem uma pegada sobrenatural, já que a narrativa do Jacq assume que os deus egípcios, seus cultos e os rituais envolvidos são reais: consequentemente vê-se, muitas vezes, que o jovem faraó realiza feitos dignos de milagre, e pra quem não gosta muito de livros com essa ideia, pode se sentir meio desagradado. A verdade, no entanto, é que isso só acrescenta para a história, já que, se o autor tivesse falado daqueles ritos como sendo fantasias, como poderíamos entrar no universo narrado? Sentiríamos o tempo todo que eram piadas e que o livro não valia a pena, e não é o caso. De qualquer modo, esse foi o meu menos preferido da série. O motivo é simples: ainda que eu acredite em dar uma romanceada para o bem do desenvolvimento da narrativa, pra tudo tem limites, e a Batalha de Kadesh foi um grande fracasso para Ramsés, já que ele quase perdeu a vida ao quebrar uma trégua de anos, estabelecida pelo pai, e no livro, ficamos com a impressão de que o inverso aconteceu. Romancear tudo bem, mas sem mudar a história, né?

As personagens continuam as mesmas, de novo com algum amadurecimento de um livro para o outro. Uma das personagens que eu mais gosto é um dos amigos de Ramsés, Acha, o diplomata, como eu contei logo na primeira resenha. Se você está lendo a série ou já a leu, sabe que nesse volume ele parece especialmente irritante, mas é, no fim das contas, a pessoa mais surpreendente da história inteira, e eu gostei muito de ver como ele se desenvolve – considerando-se que trabalhei com diplomatas por um ano e meio, não é de se admirar que eu ache graça nos maneirismos deles mesmo na literatura: é, de novo, quase uma volta ao passado. No mais, é um livro bom sim, não o melhor da série, mas necessário para entender os próximos dois, portanto, recomendado!

Espero que tenham gostado! Boa semana para todos nós e até a próxima!

Série “Ramsés”:

1- O Filho da Luz

2- O Templo de Milhões de Anos

3- A Batalha de Kadesh

4- A Dama de Abu-Simbel

5- Sob a Acácia do Ocidente


O Templo de Milhões de Anos (Le temple des millions d’années) – Christian Jacq

Posted on

Oi! Hoje é dia de série no blog, então vou continuar falando da série Ramsés, que, como eu disse na primeira resenha, me marcou muito, e se tornou uma das minhas queridinhas! Hoje é dia de “O Templo de Milhões de Anos”, segundo volume da saga.

3b

Pode conter spoilers involuntários dos livros anteriores

“No segundo volume da saga de Ramsés, tido como o Filho da Luz, ele é coroado faraó e terá que ultrapassar muitos complôs para conservar o trono.Ele dispõe de condições favoráveis para reinar com justiça e sabedoria, porém seu irmão Chenar e outros inimigos disseminam intrigas e armadilhas a seu respeito pelo reino. Só o amor de Nefertari, a grande esposa real, e da mãe, a sólida rede de amizades mantidas desde a adolescência, como Moisés, e a capacidade de Ramsés para avaliar os homens poderão ajudá-lo a assumir suas pesadas funções.”

Como eu contei no primeiro post, esses livros foram companheiros numa escola onde eu não tinha lá muitos amigos; foi a segunda vez na vida que eu lia um “livro grande”, e acho que a primeira série adulta que eu conheci – antes disso eu só tinha lido em série Harry Potter. É claro que a minha impressão do livro à época e agora, tantos anos depois é ligeiramente diferente, mas vou deixar pra contar os motivos mais perto da resenha do último livro, porque aí vai fazer mais sentido.

Nesse segundo volume, o pai de Ramsés morreu, e ele assume o trono como faraó em meio a uma ligeira desconfiança de seu povo, afinal, eles acabam de sair de um reinado próspero e tranquilo, de um homem tido como muito sábio, e o novo faraó é muito jovem, além de não ser o filho mais velho. Além de enfrentar essa dificuldade – já enorme por si só -, Ramsés ainda tem de lidar com todas as intrigas do irmão Chenar, que quer a todo custo tomar o trono – ainda que claramente não seja adequado para o cargo.

As personagens continuam as mesmas, mas podemos ver um desenvolvimento e um amadurecimento de todas elas, o que é sempre interessante. É claro que o livro não vai mostrar todos os fatos da vida do faraó, já que não é um documento histórico e sim uma biografia romanceada: o fato de que ele tinha mais de 50 esposas (concubinas), por exemplo, jamais é mencionado, e ficamos na impressão que ele só tinha duas, Nefertari – esposa que se tornou rainha – e Iset, a bela, a segunda esposa. Pra quem realmente quer conhecer a história egípcia, eu recomendaria pesquisas paralelas à leitura, mas não diria pra esquecerem o livro não! É bom demais!

Espero que tenham gostado! Boa semana para todos nós e até a próxima!

Série “Ramsés:

1- O Filho da Luz

2- O Templo de Milhões de Anos

3- A Batalha de Kadesh

4- A Dama de Abu-Simbel

5- Sob a Acácia do Ocidente


O Filho da Luz (Le Fils de la Lumière) – Christian Jacq

Posted on

Oi! Hoje é dia de série aqui no blog, e resolvi começar uma nova. Não a li recentemente, o que significa que as resenhas dos livros lidos em 2014 começarão na sexta, com um muito especial. Nesse meio tempo, conheçam uma série que tem um lugar especial no meu coração – já explico o motivo. Hoje é dia do primeiro volume da série Ramsés – O Filho da Luz.

filho da luz

No primeiro volume desta saga, Ramsés acalenta anseio de torna-se o sucessor ao trono. Contudo, Ramsés não é o filho primogênito, e essa primazia naturalmente será destinada a Chenar, seu irmão mais velho. Mas, quem realmente sucederá Sethi? O Calculista e ambicioso Chenar? Ou o apaixonado e vigoroso Ramsés? Secretamente, Sethi inicia o filho mais novo à sagrada e suprema função. As provações e armadilhas mortais se multiplicarão. Conseguirá Ramsés escapar às intrigas do irmão? Saberá escolher entre a apaixonada Iset a Bela e a misteriosa Nefertari? Ramsés só poderá contar com a amizade de alguns amigos fiéis: Ameni, o escriba; Moisés, seu condiscípulo hebreu; Acha, o diplomata; e Setaou, o encantador de serpentes. Assim se inicia a jornada apaixonante do herói egípcio conhecido como “O Filho da Luz”, em um mundo repleto de sabedoria, que será paulatinamente desvendando a cada volume da Série Ramsés.”

Quando fui estudar em uma escola de freiras, não tinha muitos amigos. Minha primeira amiga foi a bibliotecária da escola, já que eu passava os intervalos escondida entre os livros –  o que, por sinal, era contra as regras: os alunos não podiam ficar na biblioteca, apenas passar por lá. Maluquice, eu sei, mas o fato é que, depois de passar tanto tempo conversando com ela no balcão, com vergonha de entrar, fiz minha carteirinha e fui escolher meu primeiro livro. Essa série estava na estante e eu peguei o primeiro sem nenhum motivo em particular. Me apaixonei pela história, e estava esperando a oportunidade para falar dela aqui.

A narrativa do Jacq é bem simples, mas encanta. Ele é egiptólogo, então apesar de romancear um bocado os fatos históricos, sabemos que eles são reais. É importante levar em conta que Ramsés aqui é tratado como um herói, como se ele não tivesse feito más escolhas ou tivesse sido uma pessoa ruim em sua vida, mas que a realidade não é bem essa – ainda que haja um certo consenso sobre seu reinado longo ter sido fruto de seu bom governo. De qualquer modo é uma história bonita, que enche os olhos e que conquista, já que o Jacq é bom romancista.

Minhas personagens preferidas são o próprio Ramsés e Nefertari, que se torna sua rainha. Além de ele crescer e amadurecer muito ao longo da história, forma um bom par com ela, que é madura e bem resolvida. Os dois vivem uma história de amor linda, que foi uma das primeiras a me fazer suspirar pela casa. Como personagem secundária gostei de Acha, o diplomata. Uma das personagens mais surpreendentes, ele me encantou. Essa é uma série que me marcou muito. E nas próximas resenhas dela eu conto pra vocês um pouco mais sobre minha experiência enquanto a lia. Recomendo, com amor!

Espero que tenham gostado! Bom resto de semana para todos e até a próxima!

Série “Ramsés:

1- O Filho da Luz

2- O Templo de Milhões de Anos

3- A Batalha de Kadesh

4- A Dama de Abu-Simbel

5- Sob a Acácia do Ocidente