The Histories (Ἰστορἴαι) – Herodotus

Oi! Como foram de carnaval? Não apareci aqui na semana passada porque resolvi usar meu carnaval pra descansar e ler bastante, e fiz as duas coisas com sucesso! Hoje voltamos à programação normal, e semana que vem teremos a última parte dos posts de Paris, então não se preocupem com o ligeiro sumiço de posts da série. Por hoje, ficamos com “The Histories” (em português, “As Histórias”), de Herodoto.

histories

“Uma das obras-primas da literatura clássica, “The Histories” descreve como um pequeno e briguento bando de cidades-estados gregas se uniram para repelir o poder do império persa. Mas enquanto esta luta épica forma o núcleo da obra, a curiosidade natural de Herodotus dá, frequentemente, origem a digressões coloridas – uma descrição das maravilhas naturais do Egito; um relato de moradores de lago europeus; e contos rebuscado de homens com cabeça de cachorro e formigas garimpeiras. Com sua mistura caleidoscópica de fatos e lendas, “The Histories” oferece uma visão convincente do mundo grego do século V a.C..”

Eu li este livro para a faculdade. Li em inglês (por isso o título da resenha não vir em português), mas acredito que existam algumas traduções no Brasil. Cursei, por puro prazer e amor, uma matéria de cultura clássica focada nas obras gregas, e este livro era leitura obrigatória. Apesar de eu amar a mitologia grega e nunca ter tido nenhum problema para concluir a leitura de alguma obra desta cultura, no entanto, este livro foi um desafio.

A narrativa é cansativa em vários pontos, e a mistura de história real e fantasia absurda – na qual o autor claramente acreditava, em vários casos. O livro é dividido em nove partes, cada uma dedicada a uma musa, e cada uma dessas partes acaba por tratar de uma parte histórica; minha preferida foi a segunda (Euterpe), que trata do Egito. Não há que se falar de personagens, já que a história mistura muita coisa, mas há que se esclarecer que o final não tem cara de final, já que o autor promete falar de algumas coisas e acaba por não fazê-lo, e existem várias especulações sobre este detalhe – inclusive o de que ele teria demorado anos escrevendo e se esqueceu do que queria cobrir ou de que não teria editado bem o final. Fato é que a história é interessante, rica e muito recomendada – mas difícil de ler, já que é cansativa!

Espero que tenham gostado! Boa semana para todos nós e até a próxima!


Tem algo a acrescentar?