Tirant lo Blanc (Tirant lo Blanc) – Joanot Martorell

Posted on

Oi! Hoje é dia da última resenha de reposição de fevereiro, e fiquei pensando em que livro escolher para fechar esse ciclo. O livro que eu acabei por selecionar entra em uma categoria bem particular minha; é um dos livros que quando eu resenho aqui, penso: “ninguém vai ler esse, é ‘exótico’ demais”. Mesmo tendo essa sensação com muitos dos livros que acabam por vir parar aqui no blog, não pude deixar de resenhá-lo (como era também o caso dos outros que se encontram nessa minha “categoria” particular). Conheçam hoje “Tirant lo Blanc”.

039

“Tirant lo Blanc é um clássico da literatura de cavalaria. O livro trata das aventuras do valoroso cavaleiro Tirant, na época das Cruzadas, narrando seus feitos de armas, o desembaraço e a ousadia de suas donzelas, o tumulto de suas batalhas, a magnificência de seus torneios e o incessante rumor de suas línguas loquazes. Mario Vargas Llosa escreveu o Prólogo para esta edição, no qual confessa que Tirant lo Blanc é um desses “livros que todo escritor sonha secretamente emular”.”

Como vocês já sabem, eu sou formada em Letras Português do Brasil como Segunda Língua e sou estudante de Letras Inglês. Hoje eu adoro o que estudo, mas não entrei na faculdade sabendo o que queria fazer: pensei comigo que gostava de ler, nada mais natural que fizesse Letras, e fiquei com o PBSL como opção de graduação. Percebi logo, no entanto, que o curso só tinha duas matérias de Literatura, era prioritariamente linguístico, e resolvi que faria as matérias de que eu gostava como optativas. Logo no primeiro semestre me matriculei em uma matéria chamada “Fundamentos de História Literária”, que foi minha primeira aula na faculdade, e que me deixou absolutamente apavorada com o novo mundo no qual eu estava entrando. Meu único alívio foi a lista dos livros obrigatórios, que incluía este que estou resenhando hoje e tantos outros muito bons, de várias partes do mundo. Estou contando essa história gigante só pra vocês terem uma ideia de como os livros podem aparecer de uma forma inesperada na vida de cada leitor, e como é bom aproveitar as oportunidades literárias que surgem, pois elas podem nos surpreender.

Voltando à resenha, comecemos com a história em si. Eu nunca tinha lido um romance de cavalaria, então não sabia bem o que esperar. É bem diferente dos outros gêneros que eu já tinha lido, mas é bacana também. Sei que era pra ser um livro sério, mas vou confessar que fiz foi rir muito com a história e como ela se desenvolve. É que o que era pra ser super sério para a época, hoje parece algum tipo de pantomima, e aí é meio inevitável que o riso venha. No que tange às personagens, tenho que dizer que é difícil falar de todas por causa da extensão do livro: minha edição tem quase 900 páginas, daí dá pra perceber que um monte de gente aparece e desaparece durante o curso da história. Posso dizer que gostei de Tirant e da Princesa por quem ele é apaixonado, e as interações dos dois são muito incríveis, e que as personagens secundárias (são muuuitas!) ajudaram a manter a história em um nível muito divertido e muito legal. Gostei muito do conjunto da obra!

Se até aqui não convenci ninguém a conhecer esta história, recomendo esse artigo do Ariano Suassuna falando sobre o livro. Talvez ele seja mais contundente do que eu!

Espero que tenham gostado! Bom fim de semana para todos e até a próxima!


Tem algo a acrescentar?