Um Amor pra Recordar (A Walk to Remember) – Nicholas Sparks

Oi! Hoje é feriado mas eu não vou ter tanto descanso quanto gostaria. Tô cheia de prazos e de coisas pra resolver, e aí, nesse espírito, resolvi resenhar um livro fácil de ler, rápido e que, se você viu o filme, vai fazer chorar. Hoje é dia de “Um Amor pra Recordar”.

781b75c72200243f5bbd5953577a4c76

“Cada mês de abril, quando o vento sopra do mar e se mistura com o perfume de violetas, Landon Carter recorda seu último ano na High Beaufort. Isso era 1958, e Landon já tinha namorado uma ou duas meninas. Ele sempre jurou que já tinha se apaixonado antes. Certamente a última pessoa na cidade que pensava em se apaixonar era Jamie Sullivan, a filha do pastor da Igreja Batista da cidade. A menina quieta que carregava sempre uma Bíblia com seus materiais escolares. Jamie parecia contente em viver num mundo diferente dos outros adolescentes. Ela cuidava de seu pai viúvo, salvava os animais machucados, e auxiliava o orfanato local. Nenhum menino havia a convidado para sair. Nem Landon havia sonhado com isso. Em seguida, uma reviravolta do destino fez de Jamie sua parceira para o baile, e a vida de Landon Carter nunca mais foi a mesma.”

Como eu disse na resenha de “O Diário da Nossa Paixão“, já tem anos desde que comprei um livro do Nicholas Sparks. Foram três, e esse é o último a ser resenhado aqui no blog, aí um dia minha mãe trouxe um quarto (que ainda não chegou aqui), mas que faz parte de uma linha narrativa um tanto diferente do autor conhecido por livros de finais tristes e melodramáticos. Este aqui eu escolhi porque, quando vi o filme, chorei tanto que preocupei minha mãe, e aí queria saber se a história ia ser tão bonita quanto era na TV. Como em 99,9% dos casos, era.

A narrativa é como todas as narrativas do Sparks: clara, dramática, cheia de elementos que tornam a história um poço de tristezas e um final de fazer a gente desidratar de tanto chorar. Como eu já disse anteriormente, hoje em dia não seria minha escolha em uma livraria, mas, ainda assim, acho que a história é bonita e tem lá seus méritos. Gosto especialmente do fato de que são as diferenças entre as narrativas que fazem com que a história do livro seja mais crível que a do filme.

O casal protagonista é o que mais me interessa. Sei lá que síndrome é essa de ver um bad-boy se envolver com uma mocinha toda certinha, mas eu gosto dessa combinação, ainda que os rumos que ela toma na história – ele se regenerando e virando a versão masculina da moça certinha – não estejam entre os meus preferidos. Dentre as personagens secundárias, gostei muito do pai de Jamie, e dos amigos de Landon, porque acho que formam um contraste interessante entre si, mas ninguém mais se destacou o suficiente para que eu me lembre agora.

No mais, é um livro bem bom. Não é uma obra prima, não vai entrar para os clássicos da literatura, mas passa o tempo, faz chorar e entretêm. Recomendo pra quem gosta de histórias desse tipo, e pra quem anda querendo chorar.

Espero que tenham gostado! Bom feriado e fim de semana para todos e até a próxima!


6 thoughts on “Um Amor pra Recordar (A Walk to Remember) – Nicholas Sparks

  1. Gosto super do filme, mas ainda não criei coragem para ler o livro. Acho que me acabaria em lágrimas.

    Saudades de ti Ninna!
    Beijinhos, tenha um ótimo fim de semana.

  2. Preciso ler o livro. Odeio assistir um filme e ler o livro depois. Não há expectativa, pois o enredo já é conhecido. Por isso que quando sei que um filme é inspirado em um livro, procuro ler o livro antes, até mesmo para poder comparar a interpretação do diretor. Quem sabe um dia eu leio…

  3. Oi, Nina.
    Meu primeiro contato com essa história foi por meio do filme. Não tinha ideia que era baseado em um livro e muito menos que era um livro do Nicholas Sparks. Até que achei a história interessante, mas o final foi duro de engolir.
    Definitivamente eu não leria esse livro. Já li outros livros do mesmo autor e vi outros filmes inspirados em seus trabalhos e a fórmula dele não serve para mim! Não gosto da escrita e muito menos dos finais “cortando os pulsos” dele. Prefiro histórias mais felizes! hehehe
    beijos
    Camis

    • Oi Camis! Pois é, na época que eu li o livro me encantou, mas hoje eu não iria até uma livraria voluntariamente pra comprar algo dele. Acho que passei da fase de chorar demais por uma história escrita pra fazer chorar!

      Mas olha, vai sair resenha de um livro dele que não tem final triste, então, aguarde!

      Um beijo!

Tem algo a acrescentar?