Uma Estrela Chamada Henry (A Star Called Henry) – Roddy Doyle

Oi gente! Como está sendo o início de semana de vocês? O meu tá super cansativo, já que eu tenho provas e mais provas na faculdade, mas hoje eu tava super ansiosa pra vir aqui escrever pra vocês, afinal, Roddy Doyle é um dos meus autores preferidos!

Bom, hoje eu trouxe pra vocês a história de ‘Uma Estrela Chamada Henry’. Roddy Doyle é um escritor Irlandês muito famoso, e eu li quatro livros dele, sendo que o primeiro que eu li foi o infantil ‘Os Risadinhas’, que é tão lindo e divertido que vocês iam ficar chocados! Se quiserem resenha dele, só pedir ali em cima!

Bom, esse livro é o primeiro de uma trilogia, mas na realidade eu não li por isso; é que eu queria conhecer mais o trabalho dele, e esse livro era um dos que estavam na biblioteca da UnB, e aí uma coisa levou a outra, e aí já viram, né?

Aqui nós conhecemos Henry Smart, um homem que é segurança de bordel e que usa sua perna de pau para matar as pessoas que sua patroa encomenda. Ele é casado, com Melody Smart, e tem filhos com ela. Só que Dublin é um ligar sujo, onde as pessoas não duram muito, e seu primeiro filho, também chamado de Henry Smart, morre. Melody engravida de novo, e quando o bebê nasce, Henry o batiza de… Henry Smart! Melody não quer que ele tenha o mesmo nome do irmão morto, mas o marido faz questão.

Henry “Jr.” acostuma-se, logo na infância, a ouvir o pai subindo a rua, e conhece o barulho que a perna de pau dele faz. Mal sabendo andar ele já sai as ruas para roubar e pedir esmolas. Um dia, seu pai não volta, e Henry abandona sua casa, sua mãe e sua avó (a vovó Nash, mulher viciada em livros, mãe de sua mãe), junto com seu irmão mais novo, Victor, para viver nas ruas. O tempo passa, e depois de um curto período de infância cheia de aventuras, Victor morre. Henry então precisa seguir com sua vida, e com 14 anos, e já medindo 1,75 m, participa da revolução irlandesa de 1916, conhecida como Revolta da Páscoa. Um ano depois dessa revolução, ele é um guerrilheiro urbano, andando em sua bicicleta roubada e se hospedando em casas de estranhos.

A história do livro vai entrando nos detalhes da vida de Henry, seus sentimentos, as buscas incessantes por informações de seu pai, seu amor pela professora da escola, que ele chama de Sra. O’Shea, com quem chega a se casar, e cujo primeiro nome nunca sabe, já que não quer descobrir… a história é linda, mas como acontece em alguns casos, não dá pra contar a história em detalhes sem contar a história toda, mas é um livro maravilhoso, para quem realmente gosta de ler, já que ele é meio pesado!

Eu sei que o meu blog não traz tantos livros que são a sensação do momento, mas o que eu quero fazer aqui é um retrato das leituras que eu faço, e com o tempo espero que alguns de vocês se animem pra ler esses livros que aqui no Brasil são considerados mais ‘alternativos’ e mais ‘cults’(o que é totalmente bobagem)!

Espero que tenham gostado, e espero vocês no próximo post! Quero também renovar meu convite pra que vocês passem no meu skoob, bem aqui, e deixem pedidos de livros que eu já li bem aqui, pra que eu saiba sobre que livros vocês tem mais curiosidade, ok? Beijos a todos, e até a próxima!


2 thoughts on “Uma Estrela Chamada Henry (A Star Called Henry) – Roddy Doyle

  1. Pingback: Os Risadinhas (The Giggler Treatment) - Roddy Doyle - O Mundo da Marina

  2. Pingback: Moulin Rouge (Moulin Rouge) - Pierre la Mure - O Mundo da Marina

Tem algo a acrescentar?